sexta-feira, dezembro 28, 2007

HISTORINHA DE NATAL...

Sítio. Nove horas da Noite. Criançada reunida na casa dos meus tios, esperando o Papai Noel, que aparece por essas bandas há quase trinta anos (é claro que as crianças que o esperavam originalmente foram crescendo e tendo filhos, daí a razão de termos a visita do Bom Velhinho até hoje). Toca o sino, ele aparece com o seu tradicional "HOHOHO FELIZ NATAAAAAAAL", o pequeno Luca, de dois anos e meio, cai no choro (coisa tradicional também, só a criança que chora que vai mudando), mas pára de chorar após ganhar o primeiro presente. Isabella, sua irmã de cinco anos, olha o tempo todo, desconfiada. E, assim que Papai Noel vai embora, vem avisar à prima de oito anos, em tom de urgência:

- Vanessa... não acredita nessa Papai Noel aí não, viu??? Ele é o meu avô!!!!

======================
NR.- Querem saber mais sobre o primeiro natal com Papai Noel daqui do Sítio??? Então leiam a história no blog do meu pai!!!

--- E UM ÓTIMO 2008 PARA TODOS VOCÊS!!!!!!!!!!! ---

quarta-feira, dezembro 19, 2007

...EEEPA NEWS!!!

Não... não fomos engolidos por uma manada de elefantes. Nem pela bagunça que impera em nossa casa. Nem pelo fantasma daquele regime que eu teria que fazer e não consigo. Fomos engolidos pelo final de ano, mesmo. É estranho. A impressão que dá é que ligaram a rotação da Terra em uma ultra-mega-blaster esteira rolante e a cada mês vão aumentando a velocidade. Janeiro começou calminho. Fevereiro quis acelerar um pouquinho, mas nada muito gritante. Depois veio Março, já todo atarantado porque Abril o estava empurrando, o apressadinho. O mês de Junho, por sua vez, resolveu pular o mês de Maio e de quebra já trouxe logo Setembro, que deu uma piscadela pra mim e avisou que Dezembro já estava por aí e nem metade do que eu precisava fazer durante o ano todo foi feito. E é nesse momento que você se dá conta que precisa ligar o botão do desespero e fazer tudo o que precisa antes que se acumule tudo pra janeiro: trabalhos para anteontem. Arrumação da casa. Comprar roupas que me sirvam, já que a dieta furou. Esticar o orçamento para lembranças de Natal das meninas. Ir à reunião de pais e mestres na escola das meninas e dar um jeito de mudar as leis da física para poder estar em duas salas ao mesmo tempo, etc, etc, etc...

Essa tem sido a rotina, nos últimos tempos. Quando chega o final do dia, com o cérebro já em Tilt, não sobra inspiração para escrever neste canto. Mas logo tudo entra nos eixos, novamente!

Enquanto não volto a postar, coloco um pequeno passatampo para vocês:

"JOGO EEEPA DOS SETE OU MAIS ERROS E ONDE ESTÁ O ED???"

-Como funciona:

Observe as fotos ao lado. Encontre as diferenças entre as três. Normalmente, seria um Jogo dos Sete Erros, mas a diferença neste aqui é que eles podem ser mais ou menos, fica a critério de quem estiver jogando. O céu é o limite!!!!

Após encontrar as diferenças, você pode também brincar de "Onde está o Ed Wood, o Beagle". Diversão garantida, sem sombra de dúvida!!!!

segunda-feira, novembro 26, 2007

PROVÉRBIO MURPHYANO BY VANESSA:

"- Quando a gente não quer, tudo consegue."

Depois dessa, em um domingo altamente inspirado, só me resta colocar a foto da figura, tirada pouco após a sua frase...

sábado, novembro 24, 2007

- FILMES...

- Mãe!!!! Que filme você estava assistindo?
- Bridget Jones, Vanessa.
- AAAAAAAH... e ele era filme de ação?
- Não, é uma comédia romântica.
- Legal, mãe, então é igual ao filme que eu estou assistindo lá na sala...
- É??? E como é que ele se chama, Nê?
- Eu não sei bem como se chama, mas ele é assim, ó, é sobre um menino que não consegue jogar futebol direito, sabe, e aí ele aprende a dançar e começa a jogar direito.
- Hmmmm... e onde é que aparece a comédia romântica aí?
- Ah, eu não sei, mas deve aparecer em algum lugar, não é????

(sem comentários...)

terça-feira, novembro 13, 2007

MENINAS SOBRECARREGADAS

Sábado. Onze e meia da noite. Depois de um dia de muita TV e brincadeiras, as meninas recolhem toda a bagunça da sala. E segue-se a discussão abaixo:

- JUUUUUUU!!!!!! Você não quer apagar a luz da sala??? Estou com os braços carregados...
- Nê, não dá, estou mais carregada ainda. Apaga você.
- Mas por que você não apaga???
- Porque você foi a última que saiu da sala, ué. E por que que EU que tenho que apagar???
- Porque se eu apagar vai ser muito anti-higiênico, Juliana!!!
- VANESSA!!! E desde quando que apagar as luzes é anti-higiênico???
- Desde que você está com o braço todo carregado e precisa apertar o interruptor com A LÍNGUA, ué...

segunda-feira, outubro 22, 2007

- RECEITAS PARA UM CASAMENTO EMOCIONANTE...

- NO CIVIL:

Para a coisa ficar bem interessante, convém o noivo tirar carta de motorista quinze dias antes do casamento. E, claro, precisar atravessar a cidade de São Paulo pela primeira vez, levando toda a família no carro junto com ele. Diversão garantida, principalmente se o noivo atrasar mais de meia hora, a noiva pode ficar apavorada achando que ele enfiou o carro em um poste, enquanto o pai e os padrinhos tentam segurar o juiz no cartório (para isso, certifique-se de marcar o casamento no último horário do dia). Depois de o noivo pode chegar verde, e de taxi, por ter rasgado o pneu em um ferro, enquanto tentava estacionar para lembrar o endereço do Cartório...

- NO RELIGIOSO:

Se for um dia bem frio, mesmo estando no final de outubro, melhor!!! A noiva ficará linda saindo do salão do cabeleireiro, maquiada e de véu, grinalda e camisa xadreza.

Para o casamento religioso ter um tempero extra, tenha certeza de que a moça da secretaria se atrapalhou e marcou a data errada, justamente durante a festa anual da igreja. Uma boa época para se descobrir isso é durante o curso de noivos, duas semanas antes e sem possibilidades de adiamento. Isso garantirá que o seu casamento será entre barraquinhas de quermesse, e com a orquestra do Zaccaro tocanto bem na porta da igreja!!!

É claro que o padre deve tirar uma soneca e desaparecer por meia hora (para a noiva -agora já devidamente vestida para a ocasião- ficar lá na porta com todas as crianças olhando pra cara dela). E se, durante o casamento, na hora do "Você Aceita...", ele se atrapalhar e casar a noiva com o sogro, vasos de planta em cima do altar podem ser uma boa escolha para que os padrinhos se escondam para cair na gargalhada.

Terminado o casamento, os noivos não podem se despedir para não correrem o risco de guinchar o carro que os levou à igreja, já que a rua está fechada. A festa no buffet pode ser tranqüila, que ninguém é de ferro, mas é de bom tom o novo casal voltar para casa dirigindo o próprio carro, um voyage velhinho com escapamento furado. Para se lembrar somente então que não entregaram a cama de casal e eles vão ter que se apertar em uma de solteiro, mesmo...

- INDO PARA A LUA DE MEL:

Para arrematar, é muito importante po casal perder o ônibus que os ia levar a Campos do Jordão (porque foi para o lado errado da rodoviária). Assim, eles podem viajar no seguinte, que tem um motorista com peruca preta, que fica pulando bem em frente ao seu banco durante toda a viagem...

- E DEPOIS...

O que, querem mais??? O depois de tudo isso é o feliz casalzinho chegar aos seus treze anos juntos. E poder comemorar e dividir com vocês no dia de hoje...

N.R: Essa história acima foi publicada originalmente em 22/10/04, quando completávamos nosso 10º aniversário de casamento. O que mudou nesses tr~es últimos anos? Nada, além do amor que aumentou cada vez mais!!!

quinta-feira, outubro 18, 2007

QUEM É VIVO SEMPRE APARECE!!!

Sim, estou sumida! Não, o regime não me engoliu, ele está indo, devagarinho... com o agravante que estava pesando uns 95, e não os 90 que eu achava. :-PP

A falta de tempo anda grande. Livros para finalizar, corpo que não se adapta mais ao horário de verão... correrias com as filhas, a mais velha ontem foi sozinha ao shopping com as amiguinhas, shows com os jacarés, comercial para creme anti-rugas na TV com moça que nasceu no mesmo ano que eu, enfim... a falta de inspiração para posts decentes anda a mil.

Eu IA colocar um videozinho que eu subi para o youtube outro dia, mas não faço a menor idéia de como fazer uma imagem do youtube aparecer aqui. Então o post de hoje é mais um pedido: alguém me ensina??? POR FAVOOOOOOR????

Ah, parece que finalmente acabou a reforma da vizinha de baixo. UFAAAAAA... e, por enquanto, ela anda quieta. Ou será que se mudou? Sei lá.

O meu pai finalmente aprendeu a mexer com o blog dele, apesar de ainda não conseguir saber colocar links para blogs amigos por lá, tem postado mais que eu.

Bom, as notícias são essas, volto para colocar um texto no próximo dia 22. Enquanto isso, assistam a esse videozinho no youtube e tentem identificar, através das caricaturas aqui do blog, quem é quem!!!

quinta-feira, setembro 20, 2007

Boletim da A.C.N.A. (Associação dos Comilões Nada Anônimos)

Oi!!! Meu nome é Luciana, e estou há três dias e meio sem comer besteiras.
(Pausa para os aplausos: EEEEEE!!! CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP CLAP)

Meu peso atual? Sei lá. Por volta de 90, acho. Há um ano que não tenho coragem de pisar numa balança. Quanto perdi? Ahhhh... acho que vai um mês para eu ter coragem de saber quanto estou pesando. De qualquer forma, tenho uns 15 quilos até chegar no ponto em que as pessoas olham para você e falam "Ah, mas você não é gorda" (o que significa, em linguagem também delicada: "cheinha"). Sim, porque precisaria muita boa vontade para olhar pra mim no momento e falar: "Ah, você não está gorda". Isso é... talvez se ela me olhasse através daqueles espelhos de parque de diversão que esticam tudo. Bom, deixa pra lá.

É verdade que as piadas em relação ao meu peso andam meio pesadas (sem trocadilho). Mas eu realmente não subo na bicama da Vanessa, de medo de quebrar. E olho duas vezes para saber se vou passar em algum espaço mais apertado. Ou seja, usando as sábias palavras do meu amigo Ayrton Mugnaini, no momento sou a Mulher-Etapa. (Pausa para uma breve explicação para os leirores mais novinhos: há muitos e muitos anos o Cursinho Etapa usava o seguinte slogan em seus comerciais: "Mais de você em você mesmo"). Cheguei ao ponto que, ou descambo de vez, ou tomo um jeito e me reeduco. Reeducação é mais barata. Roupa de gordo é muito cara, vão por mim...

E assim lhes informo que estou resistindo bravamente, apesar dos sonhos eróticos envolvendo barras de chocolate, bolachas recheadas e outros afins. Estou vivendo há quase quatro dias à base de muita salada, muita fruta, chá, água e o resto em doses bem menores. Ainda estou na fase crítica, que em geral dura umas duas semanas. Que é aquela em que você tem que se segurar para não ter recaídas, que geralmente são aquelas em que no desespero você come a primeira coisa que vem pela frente. Mas sou precavida, e deixo cenouras espalhadas pela casa, para essa emergência. A coisa é mais ou menos como já vi um ex-fumante fazer: quando tinha vontade de pegar um cigarro, ele colocava um palito de cenoura na boca. Eu não fumo, mas de qualquer forma a cenoura eu posso comer. Como diz o meu pai, "cenoura faz bem pra vista, afinal você já viu coelho de óculos?"

Bom, este foi o primeiro Boletim da ACNA. Que volta outra vez a qualquer momento. Enquanto isso, continuem na torcida para a minha busca dos 25 quilinhos a menos!!!!

------------------------
AAAAAAAH!!! Sei que estou devendo contar para vocês como foi em Brasília, mas só o episódio do aeroporto na ida daria um post de três páginas de blog e ainda não consegui resumir. Mas chego lá. Enquanto isso, se vocês quiserem uma prévia, entrem no post que o meu pai escreveu a respeito em seu post Transporte Aéreo de 5º Mundo em País de 3º Mundo. Apesar de que, só pelo título do Post vocês já podem imaginar como foi...

segunda-feira, setembro 17, 2007

PESO-PESADO

- Ju.... estica a colcha aí perto da cabeceira da cama, por favor?...
- Por quê?
- Porque eu não alcanço direito, e é mais fácil para você subir no colchão pra fazer isso...
- Ah, é verdade... se você subir na cama pode quebrar ela, né???????
(.............)

- Mãe!!! Eu resolvi que vou fazer de conta que a minha vida é um conto de fada e todo mundo é príncipe, ou rei, ou rainha. Eu vou ser a princesa e você... quer ser o quê?
- Ahmmm... se você vai ser princesa, Vanessa, então eu vou ser a rainha sua mãe, não é?
- AAAAAAH... não pode!!! Onde já se viu rainha gorda???
- UÉ!?!?! E aí, o que eu vou ser, então???
- Ah... tá bom, TÁ BOM!!!... faz de conta que você é magra, assim você pode ser Rainha..
(.............)

- Lu... o que é aquele nick de "versão 3.7" no seu msn???
- Ué, amor.... é simples: acontece que, a cada ano que passa a gente vai melhorando, não é??? Então neste meu aniversário eu fiz update para a versão 3.7...
- É, você tem razão, lindinha... você é como os programas mais modernos de computador: a cada versão eles vêm mais pesados!!!
(.............)

Por essas e outras que declaro esta segunda-feira como o início da minha re-re-re-re-re-reeducação alimentar. E também como o dia em que inicio a busca à minha versão "irmã magra", que não dá as caras há mais de dois anos por aqui. Desejem-me sorte!!!!

domingo, setembro 02, 2007

- BOLETIM ESPECIAL!!!

...Hmmm... olá...
Meu nome é Ed. Ed Wood. Vocês podem me ver nessa foto aí do lado. Eu sou bem bonitão, não é?
Vim aqui a pedido da minha irmã Lu (sim, ela é irmã de um cachorro, acontece que eu sou o caçula lá em casa). Então... a Lu vai estar ausente dos blogs por uns dias porque vai pra Feira do Livro lá de Brasília. Sim. Ela é muito chique. Sim, ela está numa correria doida. Tanto que quase nem aparece lá na casa dos meus pais pra brincar comigo :o(((..... Bom, mas de qualquer forma, ela avisa que para quem estiver em Brasília é favor ir lá ver ela, viu??? O lançamento do livro vai ser dia 7. Maiores informações, aqui, tá?
Ah... enquanto isso, vocês também podem responder à pesquisa que ela deixou lá na barra lateral? RESPONDAM... POR FAVOOOOR!!! É que assim ela me deixa voltar de novo pra escrever mais vezes aqui.

Por enquanto é só. Aubraços e Lambeijos, do Ed Wood, redator interino do ...EEEPA!!!

domingo, agosto 26, 2007

Historinha...

Essa a Vanessa escreveu em março, para o seu blog. Idade, na época: quase 8.

- O RATO, O GATO E O CACHORRO -

Era uma vez um rato. O rato tinha medo do gato.
E o gato tinha medo do cachorro.
Um dia, o rato teve uma idéia. A de ficar amigo do cachorro.
E assim...
Nunca mais o rato teve medo do gato.

FIM

quinta-feira, agosto 23, 2007

GANSOS...

- Então, Ju... quando a gente era criança, o seu tio também era arteiro igual à Vanessa...
- É, mãe???...
- Sim... ele tinha mania de pegar um dos gansos pela asa, sabe... Acontece que uma vez, em uma das ninhadas, nasceu um filhote que tinha defeito na pata, e aí os outros gansos o expulsaram do grupo.
- Nossa, mãe... que HORRÍVEL!!!
- Pois é... só que aí um dos irmãos resolveu proteger o gansinho doente. Ele também se afastou do bando, e ficou com o outro enquanto ele esteve vivo...
- AAAAH, BOM!!! Ainda bem que pelo menos um dos gansos dessa família teve O BOM SENSO DE AJUDAR, né?!???

... E o pior é que depois a Juliana ainda não entende por que eu caio na gargalhada e não consigo terminar a história que eu estava contando...

quarta-feira, agosto 22, 2007

O BAILARINO

Essa aconteceu no início de agosto. Para quem não sabe ainda, há quatro anos a nossa família se reúne para cantar. Temos um grupinho intitulado Família Jacaré, que é composto pelas pessoas que aparecem ilustradas lá na lateral do blog: Maridão, eu, as meninas e os meus pais. Infelizmente não temos como levar o cachorro em nossas apresentações, mas nos ensaios ele é bem ativo, adora principalmente fazer a sacola do violão de cama, e outras coisinhas assim. Mas outro dia volto ao Ed, porque a história que eu quero contar é outra.
Há três sábados, no dia 4 de agosto, fizemos uma apresentação dentro de um evento chamado Mosaico Br, que é uma mostra de artes em geral: música, dança, teatro, pintura, fotografia, etc. Foi num espaço muito bacana lá no prédio da Caixa Econômica, no centro, e fomos os penúltimos a subir no palco. Ou melhor, fomos os últimos a subir, porque depois da gente vinha uma companhia de balé, e como eles precisavam de todo o espaço livre, o palco foi desmontado e colocado bem do nosso lado. E, como havia alguns momentos em que o pessoal precisava usar alguns acessórios ou trocar de roupa, adivinhem onde eles deixavam toda a tralha??? Pois é... bem ali no ex-palco que ficava na nossa frente, já que estávamos sentados bem no cantinho. E, de todo mundo, eu era a que estava mais no canto, então volta e meia ficava sem enxergar o que estava acontecendo, porque os bailarinos, em fila para entrar na apresentação, ficavam bem na minha frente... Mas tudo bem, não é??? Tudo em nome do espetáculo...
Pois bem... entre os bailarinos, havia um que entrou com uns troços meio africanos (conforme tentei reproduzir no desenho aí no início do post) (*). Ele tinha uma peruca de palha e uma calça colorida, largona, que era colocada por cima de uma outra calça branca, que era da cor da roupa do resto da companhia. E, em determinado momento, ele se trocava. Enfim, como eu disse antes, o "camarote" era bem na minha frente, e o bailarino parou lá, de costas para mim, pra se trocar. Tirou a peruca, baixou a calça de cima para ficar só com a branca, mas ele na hora pegou meio errado e, ao invés de baixar uma calça só... bem, baixou as duas, e de repente eu estava olhando para a bunda do rapaz a uns 50 cm da minha cara. E, o que é o pior... maridão viu toda a cena e, enquanto eu ainda estava vermelha, me disse, em meio a risadas:
- Bem, poderia ser pior... ele podia ter baixado a cueca também...

-------------------
(*) UPDATE: o bailarino estava vestido de Obaluaê, conforme me foi gentilmente explicado na sessão de comentários pela Yvonne. Obrigada, querida!!!

segunda-feira, agosto 20, 2007

O DIPLOSCÓPIO

Sim!!! Finalmente chegou o dia que você estava esperando!!! Instrumento de tortura??? Dispositivo para visão binocular??? Bem, na verdade quem respondeu uma das duas opções acertou. (a Claudinha disse que era um conjunto de lentes. Também estaria certo, mas como o meu post vai falar sobre outra coisa, então essa opção está descartada. Desculpa, Clau!). Então, vamos lá...
DIPLOSCÓPIO - Aparelho usado para o controle da fusão das imagens na visão binocular. Também apelidado de DOG, ele é usado para tratamento de estrabismo (vesguice) e vista cansada. Como se pode ver na figura 1, há duas placas em cima de uma haste, sendo que há uns furos na primeira. Aí você é obrigado a apoiar esse troço no nariz, conforme a figura 2 aqui ao lado e ficar olhando através desses furos, até o momento em que passa a ver três furos no lugar de dois, e a palavra DOG através deles, conforme a figura 3. Daí o porquê da opção "instrumento de tortura" também ser válida: além de você ficar zuretinha depois de um tempo (veja figura 4), ainda há o mico de ficar na frente de todo mundo segurando esse aparelho no nariz por uns dez minutos.
Bom... mas você esperou desde a semana passada para saber sobre o que eu estava falando. (Bem feito, quem mandou não imitar a Ciça e ir procurar lá no Google?) E agora está pensando com os seus botões: mas afinal por que cargas d'água essa doida está falando sobre um diploscópio??? E a doida aqui explica. É que aqui que começa a historinha de hoje e, se você já chegou até aqui, tenha um pouco mais de paciência e leia o resto, ok???

A minha mãe, antes de se juntar nos caminhos contábeis com o meu pai era uma ortoptista. Uma-o-quê??? OR-TOP-TIS-TA. Alguém que trabalha em uma clínica de olhos. Que, por sua vez, é um lugar onde você vai fazer exercício para os olhos, para vista cansada ou estrabismo. Eu adorava ir pra lá nas férias, porque havia todo o tipo de gente para se conhecer, conversar, e na época das aulas, a mamãe sempre vinha com as histórias da época do consultório. Como essa da cliente e o diploscópio. Bem, se uma pessoa segurando um DOG na posição correta já é estranho, imagine então alguém o segurando ao contrário. E a minha mãe entra na sala de exercícios e a mulher está com o aparelho na seguinte posição:
Após um pequeno momento onde a mamãe foi para a sala de espera e teve o inevitável ataque de riso (na frente de clientes que não entenderam nada do que estava acontecendo), ela finalmente se controlou e foi explicar à cliente meio desligada:
- Escuta... não é bem assim que se segura, sabe??? Você tem que virar ao contrário.
E a cliente, que era daquele tipo que faaaaaaaaala devagaaaaaaar:
- AAAAAHHH... por isso que eu não estava enxergaaaaando naaaaada... Saaaabe? Eu sou muuuuito distraííída... Outro dia eu disse pro meu marido: "Ô mariiiiiiido... eu acho que tô ficando ceeeega, eu não tô enxergando naaaaada." E ele me falou assim: "Ô mulheeeeeeer... deixa de ser buuuuurra... você não vê que está usando dois óculos???"

(sim, esse caso ficou famoso lá em casa...)

sábado, agosto 18, 2007

OS BARULHOS DA VIZINHA QUE NÃO GOSTA DE BARULHO...


Ontem a furadeira da reforma do apartamento daqui de baixo voltou a mil. Juro para vocês que cheguei a pensar em algumas hipóteses homicidas pra quando a minha vizinha voltar do hotel, sendo que a minha idéia mais agradável envolvia a dita furadeira e a cabeça dela. Sim, acho que a mulher foi para um hotel, porque pelo barulho que está lá embaixo há quase um mês, a conclusão que eu tiro é que ela resolveu transformar o dois dormitórios dela em um loft. E está derrubando as paredes com a dita cuja da tal furadeira. Juro.
Maaas... ainda sou uma mulher de paz e, afinal, não posso dar exemplos negativos às minhas filhas. Mesmo porque ser presa por vizinhicídio não é uma opção das mais agradáveis.
Não... Devo agir com classe. O negócio é partir para opções mais sutis, como gravar aqui no computador o barulho que fica no meu apartamento quando eles começam com a furação lá embaixo. E aí, das duas uma: ou coloco a gravação no ouvido dela da próxima vez que ligar por barulhos inexistentes aqui, ou penduro um aparelho perto da janela dela sempre que estiver em casa (entre nove e cinco da tarde, claro) e ligo o som da furadeira em volume máximo.

E aí? Vocês não acham que é uma boa????

============================
Sei que prometi que hoje falaria do diploscópio. Mas, devido a problemas com o blogspot, a pesquisa resolveu ficar igual a bêbado em final de noite, ou seja, toda hora caindo-não-caindo. Por essa razão, resolvi estendê-la por mais um ou dois dias, e vocês podem responder por aqui, mesmo. Seguem as alternativas:

ENQUETE DA SEMANA: o que é um diploscópio???
(a) Um instrumento de tortura medieval
(b) Um microscópio para se olhar diplomas
(c) Um aparelho para se tratar de vesguice
(d) Um dispositivo para se segurar um cópio
(e) Um não sei e tenho raiva de quem sabe
(f) Nenhuma das alternativas acima (Dê então a sua resposta criativa, ou nos comentários, ou aqui)

quinta-feira, agosto 16, 2007

LUCIANINHA - A AMANTE DOS BICHOS

Continuando o assunto tratado no último post (para quem ainda não leu e está com preguiça de procurar, é só clicar aqui)...
Não, eu não fiz canja do galo. Só o persegui. Muito. E até fiz amizade com outros de sua espécie, tive inclusive um galo chamado Fava. Não me perguntem o porquê do nome. Deve ser pela mesma razão que a minha filha tem um cavalo de pelúcia chamado Cléis. Coisas de criança. E ponto.
Na verdade, eu sempre fui fã de animais. Desde pequeninha. Tanto que uma vez a mamãe ouviu a minha vozinha lá da cozinha da casa do sítio, conversando toda animada:
- Aaaaaah... mas como "vochê" é "bunitinho"! Cê tá papando, é??? E a sua mamãe... não tá com "vochê"??? Ah, tá sozinho, é??? Cê quer ser meu amigo??? Ah, mas "vochê" é bem fofinho...
Claro que a minha mãe ficou encucada. Quem seria o amiguinho fofinho com quem eu conversava? Curiosa, ela foi até a cozinha, onde, em frente à porta aberta, eu falava calmamente com meu novo amigo que, parado a mais ou menos meio metro de mim, me olhava com cara de espanto. Era um touro enorme. Um touro que tinha ficado cego de um olho de tanto chifrar barranco. Que adorava atacar qualquer coisa que se movesse e fosse maior do que um besouro. Que uma vez havia perseguido a minha avó por todo o pomar e a fez passar o resto da tarde em cima de uma árvore. Sim. Essa doçura de touro me olhava, completamente surpreso, mas não mais do que a minha pobre mãe que, apavorada, me puxou para dentro e bateu a porta na cara dele, debaixo da minha gritaria de protesto.
Não tem jeito. Mãe sempre tem que ser assim meio estraga-prazeres. Mas pelo menos eu estou viva para contar essa história pra vocês...

============================
Atenção para a nova enquete do EEEPA. Você sabe o que é um diploscópio? Dê a sua opinião na coluna à direita e veja a resposta (no sábado) na próxima segunda-feira. Boa sorte!

terça-feira, agosto 14, 2007

- CASO VERÍDICO...

Férias de verão, 1974. Sítio dos meus avós. Ela apareceu logo de manhã, eu fiquei completamente encantada. Nós duas éramos bem pequenas. Eu, uma garotinha de três anos. Ela, uma minhoca.

Passamos o dia juntas: ela passeou na minha mão, foi balançada na rede, embalada por canções de ninar que eu sabia de cor e salteado. Onde eu estava, a minhoca ia junto... Por fim, ela se cansou um pouco e eu, solícita, resolvi colocá-la um pouco no chão, para descansar as perninhas, ou melhor, o corpinho. Grande erro!!! Estávamos ao lado de um galinheiro, e um galo, em velocidade supersônica, a engoliu...

TRAGÉDIA!!!! Entre lágrimas, saí correndo atrás dele, gritando: "VOCÊ COMEU MINHA AMIIIIIIIIGAAAAAAAAA!!!!"

E esse é o trágico fim do caso de hoje. Quanto ao galo, durante o resto de sua vida ele foi perseguido sempre que eu o via... ou seja, por mais uns doze, treze anos...

segunda-feira, agosto 13, 2007

REUNIÃO DE FAMÍLIA

Dia dos pais. Reunião no sítio do meu avô. A última geração, a dos bisnetos, é composta por quatro crianças e uma ex (a Juliana, que agora, com 12 anos, já entrou na fase de se reunir com as amigas na hora do intervalo para pentear o cabelo). No time das crianças, temos a Vanessa, com oito anos, e os filhos das minhas duas primas: os irmãos Isabella e Luca, de cinco e dois anos, e a caçulinha Marcela, de um. Fazia algum tempo que a Isabella não via as minhas filhas, então ficou assombrada quando descobriu que a Juliana agora tinha entrado para o time dos "grandes". E perguntou pra ela:

- JUUU... Você lembra quando você ainda era minha prima????

sexta-feira, agosto 10, 2007

MURPHY

Se você acha que um problema já está grande, fique contente: ele poderá ficar bem pior.

Se você não agüenta mais o barulho de martelação e furação de parede da reforma da vizinha doida do andar de baixo, não reclame. Você pode acordar no dia seguinte com o pessoal do prédio avisando que infelizmente vai precisar trocar também a coluna do SEU BANHEIRO, e assim, além de furação e martelação no andar de baixo, agora você vai ter que agüentar a marretagem na parede do SEU apartamento. E ainda dê graças a Deus que a coluna pode ser alcançada pelo banheiro de empregada.

Enfim, se você não agüenta mais a doida da maluca da sua vizinha de baixo e todas as amolações que ela traz, fique feliz, porque ainda pode ficar pior. De repente você pode receber uma circular avisando que houve reclamação quanto à produção de ruídos e que você deve ter mais atenção a este respeito, se não quiser levar multa.

Estou pensando seriamente em mandar uma carta à administradora perguntando o que eles entendem como "barulho excessivo depois das dez", entre eles: roncos meus, do maridão e das meninas, páginas virando quando leio à noite, se posso espirrar e se, enfim, alguém dar vassourada no seu chão à uma e quinze da manhã não se caracterizaria também como barulho passível de multa.

Devo dizer a todos que, apesar de ter avisado ao meu zelador da minha intenção de comprar os tamancos de holandesa, acabo de desistir do projeto. Porque devo confessar que, no momento, a tentação de dar com eles na cabeça da minha vizinha é maior do que a de só sapatear no chão do meu apartamento...

segunda-feira, agosto 06, 2007

- MOMENTO POÉTICO ...EEEPA!!! -

E eis que surge, entre papéis e diários antigos, essa bela poesia, de autoria por nós desconhecida:

TEMPO É TEMPO
TEMPO FÁCIL TEMPO
TEMPO UM TEMPO
TEMPO BOBO TEMPO
TEMPO PERDER TEMPO
TEMPO TEMPO TEMPO

- Leia a poesia primeiro na Horizontal. Depois, leia a Segunda coluna na Vertical. -

quarta-feira, agosto 01, 2007

VIZINHOS!!!

Pois é... a coisa aqui está preta.

Não sei se foi vingança da doida da minha vizinha, também conhecida como fantasma da Casca Vel. Mas há dois dias convivo com uma furadeira funcionando no apartamento abaixo do nosso. Das oito e meia da manhã às cinco da tarde. Ninguém merece!!!

(Só para esclarecer mais algumas coisas: tenho carpete nos quartos. Na sala é assoalho de taco, mas há calço nas cadeiras. E... sim, quando digo que estou dormindo, estou dormindo mesmo, ò gente de mente poluída... :-|||)


Mas voltando ao que eu contava antes: quase todo mundo aqui no meu prédio adora uma reforminha (o que, em geral, significa: derrubar o apartamento todo). É um tal de pá-pá-pá, blaaaaaaaam, bzzzzzzzzzzzzz que não é brincadeira. E quando você acha que o povo não tem mais nada pra mexer, aí ele vende o apartamento e o novo morador começa tudo de novo.

Agora... a coisa já foi pior. Quando nos mudamos, volta e meia acordávamos de madrugada com gente tentando entrar no nosso apartamento. Aí íamos olhar, apavorados, e não víamos ninguém. Uma vez até a Maria, que trabalhava conosco, veio me falar que achava que era alguma alma penada. Bom, na verdade não era alma penada, era só o japonês que morava no apartamento acima do nosso e volta e meia errava de andar e tentava abrir a nossa porta.
E, um dia, o meu marido estava falando no telefone, quando tocou a campainha. Ele atendeu e um casal de crianças japonesas passou por baixo do braço dele:
- PAPAI! Papaaaaaaaaai!!! Ei, cadê o meu pai???
- Olha... vocês erraram o apartamento, tentem no de cima!!! - falou o Vagner, uma das mãos segurando o sem fio contra a orelha e com a outra tentando virar os japonesinhos para a porta.

Enfim... são problemas de quem mora em prédio. Mas poderia ser pior: tenho uma amiga que mora em casa e é vizinha de seis chiuauas que latem sem parar 24 horas por dia...

sexta-feira, julho 27, 2007

Resultados da Pesquisa da Casca Vel

Foi perguntado, há alguns dias:

"O que você faria pra espantar a vizinha-fantasma do andar de baixo que insiste em dizer que você faz barulho nas horas em que você não está fazendo nada?"

Resultados:

- Arruma um padre exorcista - 0%
- Joga um quilo de sal grosso na cabeça dela, para espantar - 11%
- Compra um colar de melancia e sai com ele pendurado no pescoço, espalhando que você é doida e assim quem sabe a fantasma fica com medo? - 23%
- Compra um tamanco de Holandesa e sapateia pela casa, assim pelo menos o fantasma tem um motivo real para reclamar - 64%

Só para esclarecer... nos últimos dias, soubemos que a fantasma existe, e ela é doida varrida mesmo.

Fato: quando a gente mudou para cá, realmente as meninas faziam mais barulho, já que nunca ninguém reclamou. Depois da primeira ligação da Doida Fantasma, tomamos algumas providências, como:

- não arrastar cadeiras;
- não bater porta;
- não correr pela casa;
- não deixar o volume da TV ou rádio muito altos (o que sempre tivemos o hábito de fazer).

O problema maior é que... quando fazemos algum barulho maior, como derrubar um prato ou coisa assim, não há reclamação, mas é só estarmos deitados vendo TV, ou mesmo dormindo, que lá vêm as vassouradas no nosso chão... será que eu ronco??? Só pode ser!!!!

Ou seja, penso seriamente na hipótese dos tamancos de holandesa...

quarta-feira, julho 25, 2007

FRAGMENTO DE UMA CONVERSA...

- OOOI!!! Vamos pra balada?
- Vamos!!!
- Você já tem 18 anos?
- Eu tenho!
- Ah, tá... então a gente vai pra balada naquele seu carro, tá?
- Tá, mas eu pensei que você tinha 18 também.
- Eu não, eu tenho 16, mas não quero ter filho... você quer o meu?
- Genteeeeeeeee!!!! E eu, já tenho 18?
- Tem sim!
- Ah tá... mas porque todo mundo aqui tem uma amiga e eu não tenho? Eu quero uma também, me passa uma sua que você está com duas amigas...
- Tá... mas e aí, você está de férias?
- Eu não!!!
- Ué... então o que você estava fazendo com aqueles bichos? Pensei que tava de férias...
- Ah!!! É que ela só está estudando pra ser veterinária, então ajuda a olhar os animais...
- É!!! Igual a quando eu falei que gostava de azul sem gostar...

(...e aí eu fico pensando se, na época das bonecas de papel, as minhas brincadeiras eram parecidas com as das quatro que andam reunidas por aqui nestas férias, pra brincar de Polly Pocket. E depois ainda me perguntam por que o meu trabalho não rende...)

sábado, julho 21, 2007

MAMÍFERA OU NÃO MAMÍFERA?

Diálogo ocorrido há uns dois anos, enquanto estávamos indo para a casa dos meus pais e quase ocasionou uma trombada, de tanto que nós rimos dentro do carro. A Vanessa, na época, estava no Pré, em plena fase de alfabetização...

- MÃE!!! Mamífero se escreve com dois erres, não é???
- Não, Vanessa, mamífero se escreve com um erre só, se fosse com dois viraria "mamíferro"...
- NÃO!!! Você está errada!!! Escreve com dois erres, que eu sei!!! Se não fosse com dois erres, como é que o Vinícius escreve assim também???
- Mas quantos anos tem o Vinícius???
- Cinco, ué...
- Tá, Vanessa- interrompe o Vagner- quando a gente chegar lá na casa da vovó é só pegar um dicionário pra descobrir se escreve com um ou dois erres.
- NÃO PRECISA DE DICIONÁRIO!!!! EU SEI QUE É COM DOIS ERRES!!!! SÓ NÃO SEI O QUE É MAMÍFERO!!!!
- Mamífero - responde a Juliana, na sabedoria de seus dez anos - é todo aquele que mama na teta da mãe. Que nem cachorro, gato, baleia... até as pessoas são mamíferos!!!!
- EU NÃO SOU MAMÍFERO!!! EU NÃO TOMO LEITE NA TETA!!!!!!
- Agora não, né Vanessa??? - continua a Ju - Mas a gente quando era bebê já mamou na teta da mamãe, né mamãe????
- MAS EU NÃO TOMO LEITE NA TETA DA MAMÃE!!!! EU NÃO SOU MAMÍFERO!!! EU ATÉ COMO MINHOCA, PORQUE EU VOU NO MAC DONALDS!!!

quinta-feira, julho 19, 2007

CONVERSA CIENTÍFICA

Mais um clássico...

- Juliana, você sabe o que é herbívoro?
- Sei, herbívoro é quem come planta.
- E carnívoro?
- Carnívoro é quem como carne.
- E cachorro, é herbívoro ou carnívoro?
- Ué... Cachorro é OSSÍVORO!!!

------------------------
NOTAS:

1- SOBRE O POST DA GRIPE AVOÁRIA:
Sim, ela já passou. Mas, após o período de cama, vieram também as conseqüências: acúmulo de trabalho. Ou seja, mais uns dias sem visitar ninguém. Mas na próxima semana eu volto. PROMETO!!!!

2- Sobre Congonhas, escrevi em meu outro blog, que reservo para os assuntos mais sérios.

terça-feira, julho 17, 2007

O blog EEEPA, em seu novo serviço de utilidade pública, vem a este espaço avisar:

- CUIDADO COM A GRIPE AVOÁRIA!!!

O que é?

É uma infecção respiratória causada pelo vírus InfluenzaMigratoria. É altamente contagiosa e ocorre mais no início da primavera. Como, porém, em algumas cidades não existe mais estação, isso significa que pode acontecer em qualquer época do ano.

Como se desenvolve?
A Gripe Avoária, em seu período de incubação, tem como sintoma característico um cansaço acentuado na vítima. Após um período de 1 a 3 dias, esse cansaço se transforma em vontade de não sair da cama nunca mais, corpo dolorido como se tivesse sido pisoteado por uma manada de elefantes, garganta fechada para balanço e temperatura brincando de tobogã.
Após migrar por todo o corpo, o vírus aloja-se no cérebro da vítima, causando um curto-circuito nos ticos e tecos, deixando-a completamente avoada, causando-lhe uma série de inconveniências, como:
- ficar em pé olhando o telefone tocar, tocar, tocar e não se lembrar de atender;
- abrir a boca para falar e após dez minutos fazendo "hããããããmmm..." descobrir que não faz a menor idéia do que ia dizer;
- abrir um pote de pudim de chocolate e, ao invés de lamber o chocolate do lacre, lamber a testa da pessoa mais próxima;
- jogar depois o pote vazio dentro da pia e a colher na lata de lixo;
- entrar (a pé) em uma rua que não precisa porque a que ela ia entrar (a pé), tem uma placa de contra-mão (para os carros);

Atenção!
Se a vítima avoada já chegou nesse estágio, interne!!! Ninguém sabe o que ela poderá fazer a seguir!!!

Cuidados a se tomar até desaparecerem os sintomas:
- deixar a vítima avoada na cama, de preferência amarrada;
- evitar que ela manuseie objetos como facas e tesouras;
- se o avoado for dono de blog, não deixar que ele escreva textos, ninguém sabe o que pode ser publicado, nem ele!!!

OBS: - este é um estudo sério, elaborado após observar em situações verdadeiras os sintomas acima descritos. Portanto, tomem muita vitamina C. Previnam-se deste mal!!!

---------------------------------------
N.R.: texto originalmente publicado em set/2005. Mas a avoária pegou novamente a dona deste blog, motivo pelo qual ela não tem conseguido visitar nem comentar em blogs amigos. Porque ela até vai, mas depois olha para as caixas de comentários e olha... olha... olha... e pensa: "o que é que eu vim fazer aqui, mesmo?"

segunda-feira, julho 16, 2007

...EEEPA!!!... QUATRO ANOS... JÁ?!?!?!?

Pois é, pessoal... e não é que este canto chegou ao quarto ano de vida? E... o mais incrível de tudo isso:
FINALMENTE eu me lembrei do aniversário do EEEPA com antecedência, e não dois, três meses depois. Em comemoração, eu ia estrear template novo somente hoje mas, apesar dos quase 37, continuo pior que criança: arrumei a casa durante a semana para deixar tudo bonitinho e limpinho e aí não agüentei segurar... pior que criança com pacote-surpresa pra dia das mães, ela sabe que é pra só entregar o presente no dia pra ser mais legal, mas está tão doida pra mostrar que coisa legal que conseguiu aprontar e, afinal, ficou tão mais bonitinho do que o que fez no ano passado que... bem, quem prestou bem atenção viu que a cara daqui mudou durante a semana.
Então, já que a criança aqui estragou a surpresa... vamos mudar a comemoração! Na lateral, estréio a coluna de enquetes. A primeira é sobre a minha vizinha-fantasma daqui de baixo... Opinem!!!
Ah, continuando com as comenorações, esta semana colocarei diariamente textos que fizeram parte do passado longínquo deste blog em eras de blogger Brasil e que a grande maioria aqui não conhece (tirando alguns doidos que já leram isto aqui de cabo a rabo ou a turma mais das antigas). E, assim, com vocêêêêês...

CLÁSSICOS EEEPA...
- DIÁLOGO ENTRE PAI E FILHA PEQUENA -


Certa tarde...

- PAAAAAI!!! Depois você vai compá um cachorrinho pá mim, tá?
- Juliana, aqui não dá pra ter cachorro, a gente mora num apartamento muuuuuuito pequeno, se um dia comprarmos uma casa a gente compra um cachorro, está bem?
- EEEEEEEEEBAAAAAAAAA!!!!!

Na mesma tarde, algumas horas depois...
- PAAAAAI!!! Depois você vai compá um ussinho pequenininho pá mim, tá?
- Está bem, qualquer hora a gente vai em uma loja e escolhe um ursinho pra você...
- Não, pai!!! Não é ussinho de brinquedo!!! Você vai compá o ussinho de verdade, tá?
- Mas Ju, não dá pra comprar ursinho de verdade, e ele ainda vai ficar longe do papai dele...
- Ah!!! Mas tudo bem, paiê, você vai compá pá mim o ussinho pequenininho e o papai ussão gande pá mim!!!
- Ô Juliana!!! E você acha que dá pra ter ursinho e papai urso aqui dentro???
- Aqui não, mas quando a gente morá na casa BEEEEEEEEM gaaaaaaande, aí dá pá compá!!!

sexta-feira, julho 13, 2007

O MISTÉRIO DA CASCA...VEL

D. Casca Vel foi o apelido gentilmente dado pelo papai à vizinha que morava no apartamento abaixo do dele. Ela era aquele tipo de pessoa bem agradável de se conviver, com a cara sempre amarrada e que ligava a cada cinco minutos para reclamar de alguma coisa: que o meu pai estava tocando piano à tarde, que a diarista estava varrendo, que o meu irmão chegava em casa de madrugada (por acaso ele trabalhava das duas da tarde à meia-noite), ou que o cachorro andava em cima da cabeça dela. Quanto a essa ultima afirmação, a resposta do meu pai, antes de bater com o telefone na cara da mulher, foi:
- A senhora me desculpe, mas infelizmente ainda não conseguimos ensinar o nosso cachorro a voar...
Mas Dona Casca Vel não sossegou. Azucrinou tanto que baixaram uma norma no prédio que se houvesse reclamação por causa de cachorro, o animal seria sumariamente expulso. Pois é.
Depois de algum tempo, os meus pais se tocaram que de repente a vida deles estava mais sossegada, sem telefonemas ou reclamações. Foram perguntar ao zelador e souberam que a Casca Vel tinha resolvido dar uma morrida.

E aí...

...desde que soubemos da morte da vizinha dos meus pais, começamos a ter problemas com a vizinha daqui de baixo. É só estarmos quietos no nosso canto, que lá vem o interfone com ela reclamando do barulho (que não fizemos). Ou então ouvimos o cabo da vassoura batendo no nosso chão. Nunca vimos a cara da mulher, não sabemos o seu nome e ninguém daqui do prédio sabe quem ela é!

Conclusão Plausível: a vizinha daqui de baixo é, na verdade, o fantasma de Dona Casca Vel que, sabe-se lá por que, resolveu aparecer aqui por essas bandas para nos assombrar. Só pode ser!!!!

Bom... mas toda esse história aí acima é para contar o que aconteceu há uns dois dias. As meninas aqui do prédio vieram brincar com as minhas e, de repente, no meio de toda a arrastação de cadeira e algazarra que elas estavam fazendo, só ouco a Juliana dizer:
- Genteeeeee... vamos fazer menos barulho, senão a assombração lá do apartamento de baixo vai brigar conosco!!!

quinta-feira, julho 12, 2007

BONECAS INDEPENDENTES

- MÃE!!!! Você já viu duas bonecas tão pequenas indo sozinhas pra feira?
- Eu não, Vanessa...
- É, eu também não... mas elas são bonecas, e no mundo das bonecas tudo pode acontecer, não é???

:P:P:P:P:P:P...

=============================
Mudando de assunto:

Este blog está para completar quatro anos. E a dona dele, que é até que mais ou menos versada na arte dos html descobriu que não entende nada de widgets, pra que eles servem, se são servidos com uma saladinha ou podem ser engolidos a seco. Enfim: não consigo atualizar este canto porque não consigo entender os códigos para ajeitar as imagens na lateral e outras coisinhas afim. Preciso de uma boa alma que me ajude e tenha paciência de me explicar, alguém se habilita??? Em troca, ganha um livro da Missão Vlinder. Autografado!!!


=============================
UPDATE:
Continuo sem saber o que é widget. Mas, graças à ajuda de uma amiga, através do msn, consegui ajeitar o canto. Só não agüentei esperar até o dia 16... sabem como é... igual a criança que não consegue esperar pra abrir o presente? Pois é...

terça-feira, julho 10, 2007

POESIA SINGELA

O post de hoje é uma pequena homenagem à poeta maravilhosa que eu já fui aos 13 anos de idade. Vejam que beleza! Olhem que inspiração!!! Depois me respondam sinceramente: eu não era demais???

NÓIS JOGANDO BOLA

Tudo começô
Quando a fessôra ensinô
Nóis a jogá vôlei:
- Vocêis vão aprendê
A jogá o a, bê, cê.
Vocêis joga bola
E só acaba o jogo
No fim do abecedário,
Quando chega a zê.
E nóis foi jogá bola.

Um jogava e falava a,
Ôtro falava bê,
Ôtro falava cê,
Ôtro falava dê,
E daí nóis errava.
Nóis tentava de novo:
A, bê, cê, dê,
E num dava.
Ficamo duas hora,
Aprendemo a jogá
Bem o vôlei.
Mais quando nóis tentava
Jogá o a, bê, cê, dê,
Nóis sempre errava.

Cabô a aula,
A fessôra foi embora,
E nóis jogando bola.

Tava na hora
De í prá casa
E nóis jogando bola.

Nossos pais se preocuparo
Pois nóis num chegava
E nóis jogando bola.

Chegô o dia seguinte,
Os fessôres recramaro
De nóis usá a quadra
E nóis jogando bola.

Passô-se um mêis
Os bedel tentava
Nos tirá de lá
E nóis jogando bola.

Cabô o ano
Todo mundo entrô em féria
E nóis jogando bola.

Se passô mais um ano
Os aluno passaro de ano, também
E nóis jogando bola.

Se passô vários ano,
Os aluno se formaro,
Todos foram trabaiá
E nóis jogando bola.

Eles chegaro aos 40,
Começaro a vivê
E nóis jogando bola.

Eles ficaro véio,
Se aposentaro
E nóis jogando bola.

E o colégio fechô,
Até quisero demolí
E nóis jogando bola.

Todos, já veinho,
Começaro a morrê.
Incrusive nóis e daí num jogamo
Mais bola.

Tudo pur quê?
Por causa da fessôra.
Se tivesse ensinado vôlei
Sem o a, bê, cê, dê,
Nóis parava de jogá.
Pois nóis, tudo anarfabeto,
só sabia o abecedário até o dê.

(poesia modestamente escrita por Luciana Farias, em outubro de 1983 - aos 13 aninhos de idade)

segunda-feira, julho 09, 2007

ALMOÇO NA CASA DOS AVÓS...

LUCIANA: - Vanessa, você não quer experimentar um pedaço de chuchu?
VANESSA: - Tá bom, mãe. A gente sempre tem que experimentar de vez em quando, né?
LUCIANA: - Isso mesmo, filha... e aí, gostou?
VANESSA: - Eu não. Mas não tem problema, não é mesmo?
LUCIANA: - Não, Nê... Pra falar a verdade, eu só aprendi a gostar de chuchu quando tinha uns vinte anos...
VANESSA: - AHHH, isso aconteceu quando você era jovem!
LUCIANA: - PÔ! Obrigada, Vanessa!!!
VANESSA: - Bom, mãe... pra falar a verdade, você é ainda meio jovem...
VÔ ZECA: - E eu, Vanessa, também sou meio jovem?
VANESSA: - Ó, Vô! Você é só um pouquinho jovem, porque já entrou para os idosos!
VÓ NINA, RINDO: - Como é?
VANESSA: - É, vocês sabem, né? Idoso é igual a "terceira idade".
VÔ ZECA: - Pelo menos ela é bem informada...
JULIANA: - Mas também não precisava avacalhar, né, Vô? Vocês nem usam dentadura ainda...

==============================
Falando em Vô Zeca, olhem só o que encontrei nos meus comentários, ontem...

"J.F. disse...
Lu, dá prá você me ajudar lá no meu Blog? Anexei a história de como escolheram meu nome José Francisco (poderia ter sido Catacisco!), mas a disposição do texto ficou um tanto tosca.
Ei, pessoal que acha que sou "fofinho", ceis tão convidados a lerem meu blog, tá? É só clicar aí nessa coluna ao lado, no Blog do J.F.
Oi, filha! Desculpe vir fazer propaganda aqui no seu blog sem pagar nada, tá?
Só espero que, desta vez, meu recado não saia como Anônomo! Esse Bill Gates!!!...
5:47 PM

J.F. disse...
Lu, Lu!
Aproveita e convida todo esse pessoal a irem assistir a "avant-première" mundial (!!!) do show do Família Jacaré, lá no Vila Teodoro, dia 14 de setembro! Fala prá eles que é imperdível! Que são momentos de magia, alegria, romantismo, emoção, de autêntica música popular brasileira! Conta prá eles que o grupo cantor é formado por três gerações de uma mesma família: os avós Zeca e Nina Jacaré, a filha e o genro, Lu Farias Jacaré e Vagner "Rodapé" Jacaré, e as netas Juliana e Vanessa Jacaré. Convida! Convida".
Cê viu que eu e o Bill Gates já estamos nos entendendo melhor? Minha última mensagem já não saiu como "anônimo".
Paiê
5:58 PM"

Bom, está dado o recado, rsrsrsrs... ele está aprendendo... :-))))

sábado, julho 07, 2007

- SHREK 3...

Conversa de ontem, entre a Vanessa (8 anos) e a sua amiga Heloísa (6 anos):
- Vanessa, você já viu Shrek 3? É muitomuitomuitomuuuuuuuuuito legal!
- Eu ainda não, Helô. Mas você sabia que o cara que faz a voz do Shrek morreu?
- Morreu? É verdade?
- É verdade sim, Helô. - virando-se para mim: - não é mesmo, mamãe? Como é que era o nome dele, mesmo?
- Bussunda, Nê. É, ele morreu no ano passado.
- Tá vendo só, Helô??? É verdade!!!!
- Puxa, Vanessa... mas o Shrek ainda tá vivo, né????

:-))))))

quinta-feira, julho 05, 2007

- CONVERSA DE ELEVADOR...

Este post é em homenagem ao Lino, que abordou sobre esse assunto outro dia, e à Claudia Blue e ao Ricardo, de cujo blog eu "roubei" o nome para o título desta história.

Lá pelo final de 97, a Juliana estava com quase três anos, então resolvemos dar andamento a um projeto antigo. Uma loucura planejada que, em 28 de junho de 1999, passaria a se chamar Vanessa. Acontece que na primeira gravidez eu havia engordado 20 quilos. Aí, fiz um cálculo rápido:
meu peso na ocasião: 90 kg
+ aumento na gravidez: 20 kg
= total depois de 9 meses: 110 kg.

É, não dava... e por essa razão, marquei consulta com uma endócrino e em seis meses baixei o meu peso dos 90 que estava para 58. Ninguém me reconhecia mais na rua. Houve gente até que perguntava se eu era irmã da gorda. O Vagner e eu passamos a brincar com isso, ele dizia que havia me trocado pela cunhada (ah, só esclarecendo: eu só tenho um irmão, aquele do post da Laje).

Enfim. Um dia, Maridão e eu pegamos o elevador do nosso prédio. Como de costume, estávamos de mãos dadas, e aí entrou uma vizinha. Daquelas bem fofoqueiras, sabem como é? E ela me olhou de ponta a ponta, com a cara mais feia do mundo, virou-se para o Vagner e já soltou:
- Nossa, essa moça se parece MUITO com, a sua esposa, como está ela? Nunca mais a vi...
- Eu também não vi mais... - respondeu ele - ...e espero não ver, esta aqui é a irmã, e é bem melhor que a outra.
Gente... a mulher quase teve um troço, ficou branca como cera, e quando nós começamos a rir e ela me olhou de novo, percebeu que eu era eu e ficou completamente sem graça. E foi assim que virei caso do meu próprio marido...

MORAL DA HISTÓRIA: cuidado com o que você conclui, o desenrolar pode se tornar pior do que foi dito!!!

N.R.- Infelizmente nos últimos dois anos a irmã gorda de 90 quilos deu as caras de novo por aqui e está mais ou menos parecida com a imagem da Lu Fariassimpson, aí ao lado (*), apesar de maridão gostar dela de qualquer jeito.

Mas bem que planeja voltar à reeducação alimentar. Quem sabe até chegar a uns 65???

(*) avatar montado no site dos Simpsons, indicação da minha amiga Rê, do Objeto Abjeto.

quarta-feira, julho 04, 2007

As crises de informática do meu pai...

Telefone. 10 e meia da noite:
- TRIIIIIIIIIIIM!!!! TRIIIIIIIIIIIIM!!!!
- Pronto?
- LUUUU!!!!
- Fala, paiê!!!
- Qual que é o meu endereço do msn?
- O mesmo de sempre, pai... só que tem hotmail.com
- Ahhhh... é hotmail? Por isso que eu não estava conseguindo entrar, estava usando o do gmail! Deixa eu tentar aqui, então...
(pausa de alguns momentos com o papai tentando se conectar...)
- Ei, mas não está entrando, eu tento colocar o endereço e aparece uma coisa esquisita.
- Que coisa esquisita, pai?
- Ah, sei lá... é um troço em inglês... síguini ím... eu tenho que colocar o meu endereço aqui?
- Sign in, pai. De repente é legal tentar entrar aí, sim...
(mais uma pausa...)
- Lu! Esse troço não funciona! Fica entrando lá numa página do msn!
- Não é a página do msn Today?
- Ah, sei lá... é um troço em inglês também. Você tem certeza de que a minha senha é essa?
- Que eu me lembre sim, paiê... em todo caso, tenta a outra...
(nova pausa)
- Ah... agora que não deu certo! Travou tudo! Deixa eu abrir de novo, peraí...
- Tá, pai... olha, a senha TEM que ser aquela primeira, então. E o seu endereço é aquele mesmo que eu disse, porque é o que aparece aqui na minha lista!
(outra pausa do papai tentando se conectar... e nada dele aparecer visível no meu msn, que a essa altura do campeonato já estava ligado, também)
- Ah!!! Lu!!! Apareceu outra vez aquela janela de propaganda!!!
- Mas não tem espaço pra login, aí?
- Não...
- Bem... Você clicou no homenzinho aí na tela, né?
- Que homenzinho, Lu?
- Epa... Paaaaai... ONDE QUE VOCÊ ESTÁ????
- E eu sei lá???? Não entendo esse troço!!!! Ah... péra... a sua mãe apareceu por aqui pra dar palpite!!!
(nova pausa, resmungos dos meus pais conversando ao longe...)
- Lu, deixa eu passar o telefone para a sua mãe que ela conseguiu consertar esse troço e agora eu vou lá no msn falar com o Damião, tá?
(pausa, agora para a minha mãe pegar o telefone...)
- Mãe!!! O que afinal estava acontecendo aí?
- Ora... o seu pai que estava acontecendo, né? Ele estava tentando entrar no msn pelo Firefox!!!

(Sim. A coisa por aqui anda inspirada...)
===================================
UPDATE DE 05/07:

Ontem. Final da tarde...
- TRIIIIIIIM!!! TRIIIIIIIIIIIIIIIIM!!!!
- Pronto???
- LU!!!! Como é que eu coloco comentário?
- Onde, pai?
- No seu blog, ué!!! Agora eu tenho que me defender, né???
Bom... eu ensinei a ele como se fazia pra comentar. Acabou deixando como anônimo, mas conseguiu. Papai está evoluindo. Transcrevo aqui o que ele escreveu:

"Filha! Sou do tempo em que os computadores eram tocados por um motor a vapor. A língua oficial do pais era o latim. Agora vem tudo em código! Prá mim, inglês é código. Como é que eu posso entender? Esse Bill Gates!!!...

Paiê!"

Digam a verdade... Ele não é um fofo???

terça-feira, julho 03, 2007

Curtinha...

A Vanessa corre para o quarto:
- MÃÃÃE!!! Você sabe o que é galvanização???
- Ixe, Vanessa... eu sei que algum dia já aprendi sobre isso, mas não consigo me lembrar o que é...
A Vanessa corre para a sala:
- PAAAAAAAI!!! JUUUUUU!!! Vocês não sabem!!! A mamãe é a mais sabida de todos nós!!!
Eu, então, vou para a sala:
- Vanessa!!! De onde você tirou essa idéia de que eu sou mais sabida que todo mundo?
- Ué, mãe... é que você é a única que já soube mais ou menos sobre esse troço, o Papai, a Ju e eu não sabemos nada...

MORAL DA HISTÓRIA: para ser sábio, mesmo na ignorância, é só ter um filho...

Ah! E, antes que alguém me pergunte...
- Galvanização:
Operação de recobrir o ferro com uma camada de zinco metálico, a fim de o proteger contra os efeitos da oxidação; zincagem.

E viva o Titio Aurélio Eletrônico, que juntamente com São Google volta e meia nos tira desses apuros intelectuais!!!

segunda-feira, julho 02, 2007

AULA DE INFORMÁTICA

(diálogo ocorrido em agosto de 2006, entre meu pai e eu...)

- OK, pai... vamos lá. O que você quer aprender, mesmo?
- Como é que eu faço mesmo para colocar um texto no meu blog?
- Ué! Mas você não anotou da última vez em que eu expliquei???
- Claro que anotei! Só não sei aonde eu pus...
- Hmmm... tá. Então vamos lá... entra no endereço do blogger.
- Com um G ou dois, Lu?
- Dois.
- Pronto. Entrei. E agora? Não sei por que o Bill Gates gosta de complicar tanto a nossa vida...
- Pai, deixe o Bill Gates pra lá... agora você precisa digitar o seu nome de usuário e senha.
- Está bem... e qual é mesmo o meu nome de usuário?
- Ai, Paiê!!! E eu vou lembrar??? Tente esse aqui...
- Não entrou.
- E se você tentar esse outro?
- Ah... agora apareceu: "Bem Vindo, J.F.". É isso???
- É. Agora você tem que ir lá naquele botão onde diz: "Criar post".
- Mas eu já criei no Word. Agora eu preciso copiar.
- Eu SEI que você tem que copiar! Mas pra isso tem que entrar em "Criar Post"!
- Ô COISA MAIS COMPLICADA! Esse Bill Gates é uma besta, mesmo! Pronto. Copiei. E agora, Lu?
- Agora você tem que publicar.
- Eu publico aqui onde está escrito "Publicar Post"?
- É, pai.
- Tá bom... E agora, onde eu vou pra ver como ficou?
- Lá onde está escrito para ver o Blog, pai...
- Ah, tá. Já vi. E agora, como eu volto?
- Aqui, na seta para voltar.
- Que seta???
- Aquela lá em cima, Pai!!!!
- Qual??? Essa aqui??? EEEEEI!!! E o que é isso aqui que apareceu???
- PAI!!! Você foi parar num blog da Noruega!!!
- UÉ!!! E como eu fiz isso?
- E eu vou saber???
- AH, esse Bill Gates é uma besta, mesmo...

Update de 02/07/07: eu JURO que expliquei de novo. E o meu pai anotou tudo em um caderninho. Bem... se ele não perder o caderno, acho que agora teremos posts com uma freqüência maior lá no blog dele. Ou, pelo menos, eu assim espero...

sexta-feira, junho 29, 2007

NA LAJE...

Este post é uma homenagem ao meu irmão, que finalmente resolveu voltar a blogar. Onde? Em um espaço chamado "Na laje", claro...

Nós morávamos próximos ao centro de São Paulo. Prédio antigo, sem playground na parte de baixo, mas uma laje muito bacana na parte de cima. Era um terração, usado, entre outras coisas, para o pessoal tomar banho de sol, estender roupa ou, no caso do pessoal mais jovem, jogar vôlei, usando um dos varais que dividia a laje de uma ponta a outra como "rede". A nossa turminha era composta por: meu irmão e eu e outros dois casais de irmãos, um que morava no primeiro andar do nosso prédio e o último nossos amigos-irmãos de infância, que a cada dois sábados estavam lá em casa (no outro nós que íamos para a casa deles). Estávamos lá pelos idos de 1980 e meu irmão com franja na testa (*), início da era da geração de prata do Vôlei Brasileiro, então era meio natural que fosse o nosso jogo preferido.
Não sei se já falei aqui, mas sempre fui a clássica "a última na escolha dos times": aquela pessoa que, na aula de Educação física sempre ficava para o final e todo mundo brigava porque ninguém a queria no time. Pois bem. Era eu. Principalmente quando jogava vôlei. O meu saque sempre foi um troço ridículo e minhas manchetes só iam para a frente se eu me virasse de costas. É. Acho que já deu para vocês sentirem o drama. Mas os nossos amigos sempre foram muito dez e me deixavam jogar, na boa. Até nem perdiam a paciência com a minha total falta de jeito! Só davam risadas, mesmo.
Certo sábado à tarde, nos reunimos como sempre na nossa laje. Afastamos o lençol que alguém havia estendido no nosso varal-rede, para não sujar muito, nos dividimos em dois times e começamos a jogar. Fui pegar uma bola com a minha famosa manchete-de-costas e foi aí que aconteceu: em uma jogada com uma força surpreendente, tal qual um saque Jornada-nas-Estrelas, a minha bola voou voou voou e foi parar direto no terraço do prédio vizinho. E fez póim-póim-póim-póim no piche do cara que estava fazendo a impermeabilização da cobertura, e que tinha passado o dia todo alisando o concreto! E, como toda ação gera reação, nós, devidamente escondidos para não levar A BRONCA, vimos o cara ficar vermelho, pegar aquela coisa disforme e cheia de concreto, que há poucos minutos tinha sido uma bola, para então tacá-la doze andares abaixo, bem no meio da Avenida Nove de Julho.
E esse foi o fim de nossa aventura como jogadores no terraço. Não só pela perda da bola, mas por fim pelas reclamações quanto ao estado das roupas que ficavam penduradas lá.

(*) para quem não conhece o meu irmão, a sua área posterior da cabeça começou a ser desmatada lá pelo início dos anos 90. Segundo o nosso pai, o que o Adriano tinha na testa foi parar na barba.

CRISE CONJUGAL...

Eram dois casais: Rony e Rocky, Zeus e Freda. Zeus, vítima de ectoparasitas, acabou morrendo. E aí foi que começou a confusão. Porque o Rony, muito do assanhado, e agora o macho alfa do pedaço, começou a dar em cima da Freda. Rocky, enciumada, armou altas brigas com aquela que um dia foi sua companheira de nadadas. Como as duas já estavam em vias de fato, não tivemos outra solução, a não ser colocar A CERCA. Ela fica encaixada no chão e divide o ambiente do nosso aquário em dois ambientes, mas, como tem só 10 cm de altura, não fecha o caminho para os peixes que querem ir e vir. Pois bem... a Rocky tomou conta de um lado da cerca, a Freda do outro, e agora o pobre Rony, cada vez que pula a cerca para a área da Freda é enxotado de lá a rabadas e barbatanadas pela sua esposa Rocky. Que o manda para trás da planta, de castigo.
E é por isso que eu digo: macho que pula a cerca, na sala da minha casa, não é perdoado.

E pensar que eu não queria ter aquário...
===============================
É com muita felicidade que o EEEPA recebeu a notícia de mais esta indicação do Lino. Como falei por lá, adoro o seu blog. E, de acordo com as regras, preciso dar continuidade, indicando 7 blogs que acho maravilhas da Blogosfera. Tarefa difícil essa, gente!!! Porque a vontade era indicar muito mais que os 7. Acabei optando por alguns blogs que gosto demais de passear e que têm uma atualização freqüente:
- A Casa da Mãe Joana
- Cartas sem Selo
- Che Caribe
- Coisa Rara
- Ramsés Séc XXI
- Transmimentos de Pensação
- Your Soul

As regras para o meme, criado pelo blog Sentido das Coisas, estão aqui.

quinta-feira, junho 28, 2007

VANESSA - 8 ANOS!!!

Pois é... hoje é aniversário da minha caçulinha! Com direito a poesia comemorativa no blog dela, o Vanezilla (depois passem lá para ver, tá???).
Para comemorar o dia de hoje, resolvi compartilhar com vocês algumas tiradas clássicas da Vanessa, desde o início do EEEPA até hoje...

- PAI!!! Sabe quando que a pessoa usa banguela?
- Como, Vanessa, quando está sem dente?
- Não... Como aquele homem sem uma perna, ele usa duas banguelas!!!!!
***********************
- MÃE!!! Sabe como é que o passarinho espirra???
- Como, Vanessa?
- Assim, ó: aaaaa... aaaaa... aaaaa... PÍÍÍÍU!!!!!!!!!!!!!
***********************
- Vanessa, por que você está falando pro espelho?
- Ora, mãe, porque eu quero conversar com o seu reflexo!!!
***********************
- PAI!!!!!!!! PAAAAAAAAAAAIIII!!!!!!!! O Vô Biso consegue tirar os dentes!!!! Ele é MÁGICO!!!!!!!!!!
***********************
- Ô mããããe...
- Fala, Vanessa.
- Você sabia que num outro ano passado, mas no outro ano muuuuuuuuuuuuuuito passado, não existia televisão???
***********************
- Mãe!!! Paaaaai!!!! A Ju falou que está na terceira série lá na escola dela!!! Eu estou em qual série???
- Você está no Jardim II, Vanessa.
- Aaaaaaaaah!!!... Mas eu estou no Jardim II porque lá na minha escola tem uma horta???
***********************
- MÃÃÃÃÃEEEEEEE!!! MÃÃÃÃÃÃÃÃEEEEEE!!!! Preciso de um lençoooooo!!!
- Pra quê?
- É que o meu nariz está escorregando...
***********************
- VÔ!!! Você sabe por que eu não gosto de vinho???
- Porque você é criança, Vanessa?
- Nãããão... É porque eu já experimentei o cheiro!!!!
***********************
- MÃÃÃÃÃEEEEEE!!!!!! POR QUE isso está acontecendo??????
- Isso o que que está acontecendo, Vanessa???
- Isso, UÉ!!! Por que você está ficando do tamanho da Juliana???
- Não sou eu que estou ficando do tamanho da Juliana, Vanessa... é a Juliana que está crescendo!!!
- AAAAAAAAAH BOOOOOOM!!!... Pensei que você que estava encolhendo!!!!!
***********************
- Mãe!!! Sabia que a Ana Flávia não é brasileira?
- Não? E ela é o que, Vanessa?
- PALMEIRENSE!!!
***********************
- Mãe. O meu céu da boca não tem estrelas...

quarta-feira, junho 27, 2007

PLUTO

Continuando o tema, e aproveitando o gancho de alguns dos comentários...

A Juliana devia ter uns dois anos, e entrou naquela fase bonitinha em que quase toda criança não consegue pronunciar o "R" e o "L" do meio das palavras. E aí nós, adultos malvados, pedíamos a todo momento pra ela falar aquela célebre frase: "O Pluto é filho da Pluta". E... bem... vocês já sabem o que saía. Não tem jeito, pai de primeira viagem sempre é meio besta. Com a Vanessa nós já não fizemos a brincadeira. Minto... tentamos fazer, mas infelizmente ela começou a falar muito cedo, e sempre pronunciou esses "Rs" e "Ls". Então, sobrava pra Ju (mesmo porque nessa época a Vanessa nem era projeto de filha ainda):
- Filha, como é mesmo aquela frase?
- O P'uto é fi'a da P'uta.
E aí um belo dia, aconteceu. Nós estávamos dentro de um táxi, e a Juliana já perguntou, bem alto:
- Pai, quando der você arruma um P'uto pra mim? Ah, mas não precisa da P'uta não, porque ela eu vou pedir pro meu Vô Biso me arrumar, mas eu não quero uma igual da Mariana porque a P'uta dela está toda rasgada...
Enfim... achamos que seria melhor parar com a brincadeira dos Plutos e Plutas, mas arrumamos um para ela. De pelúcia, claro.

----------------------------------------------------
UPDATE NADA A VER COM O POST ACIMA: descobri outro dia que o Explorer cria caso com a barra lateral do meu template. Ou seja, quem não usa os firefoxes da vida não vê os meus links, nem foto, nem nada. E, na boa... morro de medo de botar pra atualizar lá na barra do blogger e depois não conseguir mais colocar meu contador. Nem as minhas coisas. Socooooooorrooooo!!! Será que alguém que entende mais que eu pode me ajudar??? Ah, se também souberem como fazer nova versão daqui em três colunas, eu agradeço, de coração!

segunda-feira, junho 25, 2007

LUCIANINHA - post antigo, singelo e bonitinho

Estava com uns quatro anos, e começou a aprender palavras novas com as amiguinhas da escola. Em casa, resolveu colocar algumas em prática e chamou o irmãozinho de "idiota". Nina, a mãe, explicou pra ela que não podia falar assim, que aquela palavra era muito feia. E Luciana não a usou novamente.
Alguns dias depois, Nina entrou no seu quarto e surpreeendeu a filha sentadinha em cima da cama, apontando algumas florzinhas bordadas na colcha, e contando baixinho:
- Puta-puta-puta... puta-puta-puta... puta-puta-puta-puta... puta-puta-puta-puuuuta...
- Que é isso, menina? Não pode dizer isso, é feio!!!
- Por que, mãe??? Não é 'diota...

NR:
1- antes que alguém pergunte: sim, a Lucianinha era eu.
2- post em homenagem à minha amiga Tatiana, que diz não ter coragem de usar certas palavras por aqui... ;-)))

sábado, junho 23, 2007

ELA...

Um dia, ela me olhou. Eu olhei de volta. E ela ficou lá. Quieta. Abrindo e fechando a boca. E me olhando, sem parar, deu uma reboladinha. Eu não acreditei: a coisa era comigo? Como que em resposta, ela me olhou mais fixo e se balançou toda, novamente. Aí, não agüentei: eu a encarei de frente e balancei a cabeça. O que ela estava pensando, oras? Eu... uma mãe de família? Ela então me olhou DE NOVO. Rebolou outra vez. E foi assim, nessa hora, que eu tive a grande revelação. Aquela que, de lá para cá, tem mudado o meu modo de ver a vida. É impressionante como às vezes tudo está na sua cara e você não consegue ver. E eu percebi! Sim! É verdade! O meu peixe conversa comigo! Vocês precisam ver que coisa mais bonitinha: é só eu chegar perto do aquário que a Rocky começa a se balançar toda, aí eu chacoalho a minha cabeça e ela me responde com uma nova rebolada. E a gente fica nessa bem assim... por uns cinco minutos, se bobear. Deve ser um papo muito bom, mas infelizmente eu ainda não sou muito versada nas linguagens de um Acará-Disco.
Mas que nós conversamos... ah, sim, conversamos!
E... não! Eu não sou doida! Ou talvez só um pouquinho...

sexta-feira, junho 22, 2007

78 RPM

- Maria Clara? Tudo bem?
- .....
- É, eu também, eaescolaestálegaledidadafmahjhrtaafsz...
- .....
- ah, você querdizerquefafjagsgskgsjvsbhahdafavvnzvz???
- .....
- HAHAHAHA!!! É, aquitambémoutrodiaaprofessoradf, afmafafafafakfmsgmadfbabvbzbvzbzbvz e aí eudissepraFabriciaquejadafjsfvmxbvaçgbaafa, HAHAHAHAHA!!!
- .....
- Pois é... a genteprecisasereuinirné eaírarmgjajfahfafamvaigjslvsalgassaffsafda!!!!
........
(meia hora depois...)
EU: - Juliana: me explica o que acontece! Por que a sua geração fala assim tão acelerado? Se você quiser contar algum segredo no telefone pra sua amiga, nem precisa sair de perto, porque ninguém entende!!! Mas pelo menos a Maria Clara entende o que você diz?
JULIANA: - Ah... ela me entende, mas eu não, porque ela fala ainda mais rápido que eu...

:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P:P


O segundo a gente nunca esquece!!!
Primeiro, recebi o prêmio do Lino. Agora, foi a Claudinha!!! Amei, e resolvi dar continuidade, indicando alguns blogs que me divertem muito de várias formas e que ainda não vi na lista do laughing blogger:
- Blogui du Willxu - esse eu acompanho desde os tempos em que Wilxu morava no Japão e fazia tempestade de neve de pipoca em sua própria cozinha. Agora ele está de volta ao Rio, mas as suas tiradas continuam geniais.
- Coisa Rara - de Tatiana Rocha. Blog que eu visito há pouco tempo, mas já viciei e dei boas risadas. Ela fala o que pensa, sem meias palavras. E, com isso, garante alguns dos posts mais inusitados que já li.
- Jack não tá fazendo nada - Esse foi um dos primeiros blogs que eu conheci. Aposentada e metaleira assumida, Jack conta sobre as suas aventuras nos tempos em que trabalhava como bancária.
- Reino Selvagem - Dicas de decoração faça-você-mesmo, por Emerson Von Lehmann. Você quer ter um painel de recados feito de porta de geladeira na sua parede? Ou espelhos de luz de discos coloridos? Então não deixe de passar por lá, para conferir!
- Your Soul - Esse eu também freqüento há anos. Histórias do dia-a-dia, contadas de uma forma sempre bem humorada e sensível por Your Soul. Ela também costuma colocar suas receitas de culinária (maravilhosas), piadas e outras coisinhas afim.

Não esqueçam de conferir, espero que vocês curtam tanto quanto eu!!!!

Para você indicar os blogs que te divertem e/ou pegar o selinho, passem no blog da Meire. Só não se esqueçam de avisá-la depois, ok?