sábado, março 29, 2008

TELEFONICES (4ª PARTE)

Não, não adianta você procurar a 3ª parte dos posts sobre Telefonices aqui neste blog. Acontece que os dois primeiros foram reposts do meu primeiro EEEPA, e o terceiro ainda se encontra lá. Se tiver paciência para esperar, em breve eu reposto aqui. Se não estiver, então só resta passear lá pelo meu antigo endereço, onde ainda se encontram os arquivos dos primórdios de meus tempos de blogueira. Já falei sobre meu antigo celular. Sobre o primeiro telefone lá de casa, quando eu era criança. Sobre as ligações de trote que levávamos. Em outra ocasião, apesar de não ter nomeado o tópico de "Telefonice", narrei a perda de meu celular.

Mas a vida continua, e o assunto sempre rende novos posts.

A história abaixo começa depois de eu solicitar uma mudança de linha para a Telesp. Motivo? A dona antiga da linha havia dado um golpe na praça e volta e meia recebíamos telefonemas de ameaça, aqui em casa. O procedimento seria simples: você ligava para a Telesp. Solicitava a mudança. Após alguns dias, um atendente te retornava a ligação para avisar quando o número da linha seria trocado e qual seria o seu número novo. Mas é claro que, já que Murphy sempre impera nessas horas, tivemos dois probleminhas técnicos nessa mudança que me obrigaram a ligar pra Telesp pleno sábado de manhã...

- Telesp, bom dia. Em que podemos estar ajudando?
- Bom dia. Eu solicitei uma troca de linha. A mudança era pra acontecer na quinta-feira, só foi feita hoje, e ninguém consegue ligar pra cá. Nem no número antigo, nem no novo. Vocês poderiam verificar o que está acontecendo, por favor?
- Um minuto... qual o nome completo do assinante?
Informei o nome do Vagner.
- Qual o antigo número da linha?
Informei o antigo número da linha.
- Qual o novo número da linha?
- E eu vou saber, minha filha???? Se é justamente por isso que eu liguei!!! Sei que o número que DEVERIA SER esse (disse o número), mas foi feita a mudança e ninguém consegue me achar! Você poderia me informar se o número está certo, por favor???
- Desculpe, mas não vou poder estar informando esse número.
- Como não????????
- Não vou poder estar informando porque a pessoa que ligou solicitando essa mudança pediu para não estar informando esse número.
- Sim, mas a pessoa que ligou solicitando essa mudança fui eu!
- Mas nós não podemos estar informando, você vai ter que estar ligando na segunda-feira para o nosso número de informações para estar solicitando que estejam te enviando essa informação.
- PÉRA... então VOCÊS mudam a minha linha num SÁBADO, sendo que era pra ser durante a semana, mudam para um número que EU NÃO SEI QUAL É e me informam que só daqui a DOIS DIAS eu posso descobrir qual é o número da minha linha, porque vocês não podem me informar já que EU MESMA solicitei que não era pra informar pra ninguém??? É ISSO?????
- Sim, infelizmente eu não vou estar podendo fazer nada.
- NÃO VAI ESTAR PODENDO FAZER NADA PORRA NENHUMA!!!! PORQUE SE ESTIVER ACONTECENDO DE EU NÃO ESTAR RECEBENDO ALGUMA LIGAÇÃO DE EMERGÊNCIA PORQUE NINGUÉM SABE O NÚMERO DO MEU PRÓPRIO TELEFONE, EU VOU ESTAR PROCESSANDO VOCÊS!!!!!!!
- Ah, um minuto, que vou estar tentando passar para outro departamento.
Passam-se alguns minutos. E volta uma voz de homem:
- Pois não?
- Olha, é o seguinte: eu gostaria de descobrir qual o telefone da minha própria casa, porque vocês não querem me informar, já que solicitei que o número não constasse da lista, ele era assim (disse o número) e me foi informado que seria mudado para esse... - comecei a dizer o número novo e fui interrompida:
- Ah, é aí que está errado. Não é 44, é 48...

Argh... problema resolvido? Não. Porque, após finalmente descobrir o número novo aqui de casa, ainda restava ligar para toda a minha lista de amigos e parentes para avisar. Ah, eu não sabia ainda, mas COMO fazia falta não existir internet para simplesmente mandar um e-mail...

E quanto à linha nova???? Bem... continua no próximo post.

UPDATE DE 31/03 (respondendo ao comentário da Luma): essa história descrita acima aconteceu em 1900 pré-celulares e identificadores de chamada. Portanto, só dependendo da Telesp, que nem privatizada tinha sido ainda...

25 comentários:

Cris disse...

Ai, Lu!!!
Detalhe que eu ri muito com os textos anteriores...
Beijos

Claudinha disse...

Ah, Lu! Eu sei bemo que é isto!
Fiquei mais de uma hora para cancelar minha conta de celular na telemig... Estou rindo até!
Beijos!

* Visitei o seu papai e o Ed, grande cão!
Beijos!

Nadezhda disse...

São smepre duas opções: Ou essas pessoas não trabalham direito ou Murphy que está sempre presente.

Aqui não tneho problemas com o telefone. Mas quando chove, acaba a força. (CPFL, Choveu, pronto! Faltou Luz).

;)

Blog do Beagle disse...

kakakakaka já passei por coisas e mais coisas com a Telesp e esse gerundismo doentio que as atendentes utlizam me faz ficar mais doida! Eu berro e proibo a idiota de estar falando comigo como se eu fosse um robô! kakakakaka quero saber a continuação da história. Bjkª. Elza

Mário disse...

Lu, passando para desejar a todos um bom domingo.

Lua disse...

hahaha, muito bom!
foi um prazer estar visitando seu blog e estar comentando seu post!
ha!
=D

maith disse...

Oi Lu!
Estou aguardando com ansiedade a sua visita e de seus pais
Vou ver qual é o sabado que minha filha pode vir me ajudar( ela é que cuida da churrasqueira)e que a referida está disponível, pois é do prédio.
Vai ser muito bom conhece-los pessoalmente!
Por enquanto, um beijo virtual!

DO disse...

Sem falar deste festival e gerundios que me dóem os ouvidos,hehehe

Beijão,LU!!

luzdeluma disse...

Lu, que complicação! Mas se estivesse aí lhe daria uma idéia: Não seria mais fácil você ligar para um celular ou qualquer número que tivesse identificador de chamadas e descobrir o seu número? Boa semana! Beijus

luzdeluma disse...

Tá explicado!! Beijus

Kenia Mello disse...

Se serve de algum consolo, isso é coisa bem atual, inclusive por essas bandas onde moro. Recentemente tive uma diálogo desses com os atendentes da Telemá, oops, Telemar.

Beijo.

Salvador e Ran disse...

oi Lu e família bonita!!!
valeu a lembrança do níver...
bjão pra todos...
^^

Lunna Montez'zinny disse...

ahahahahahahaha, adorei o ano de 1900 pré celulares e sem identificadores de chamada. Como a vida era agradável.
Beijos

Ciça Donner disse...

E tua tá pensando que isso só acontece no terceiro mundo é??? Tá...

Déia disse...

hauhauhauha
eu adorei essa foto da sua família reunida no sofá...
seu blog ja é "gente grande", vou levar um tempo pra ler tudo, ou ao menos as ultimas noticias, hauhauhauhaua
bjos

Ed Wood disse...

Lu, minha irmã mais velha (bem mais velha!!!). Não entendi muito essa de era pré-celular. É que eu nasci muito depois disso. Sabe, nós, cães autênticos da raça superior "beagle", já nascemos conhecendo toda a moderna tecnologia das coisas. Tanto que sou um cão que tem blog. Só não consigo digitar (só tenho três dedinhos curtinhos em cada pata!), mas, para isso, contratei um secretário (o pai JF - hehehehehehehe!). Eu dito e ele digita. É isso. Mas, no momento, estou muito triste com a morte do meu amigo Scooby-Doo. Vai lá ver a foto dele no meu blog. Vai, irmãzona! Um lambeijo no seu nariz.

Nina disse...

É filha, foi um sufoco. Eu tentando ver se seu telefone atendia e sem saber o que estava acontecendo.
Agora, a gente ri, mas na hora foi preocupante.
Beijos

Marco disse...

Caraco, Luciana! Naquela época já existia a praga do gerundismo???? Olha... Kafka era tcheco e viveu no início do Século 20. Se ele fosse brasileiro e vivesse nos dias atuais, a sua obra O Processo (que gerou o termo "kafkiano") teria uns 16 volumes. Sendo uns 15 só para tratar de reclamações por telefone. Coisa de louco! Eu vou estar aguardando o prosseguimento da sua história, assim que você for estar escrevendo e estar nos contando. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Edson K disse...

Lu!!!
Aha! Os paulistas sofrem tanto quanto os fluminenses então!!!!
As empresas de telefonia continuam ruins, só que agora os atendentes viraram Call Center, e você tem que discar muito mais números até perder a paciência e poder dar um "esporro" em alguém!!!
Bjks

Passageira do tempo disse...

kkk
Muito bom seu texto, essas coisas são dificies....

parabens pelo blog.=p

http://passageiradotempo.blogspot.com/

Re_Ventania disse...

É por isso que sou capaz de ficar horas aqui, lendo e relendo seus posts, ou melhor me deliciando com as histórias de uma familia que bem poderia ser retratada na TV.

Adoro sua capacidade de transformar realidade em literatura, acho que já te falei isso, né?

Beije todos os membros de uma trupe do barulho.

Sílvio _ pulcro disse...

Nossa! No meu caso tinha estourando o telefone na parede, na hora que eu estivesse conversando com a atendente. Fico Nervoso muito fácil.


www.pulchro.blogspot.com

Anunciação disse...

Sempre que venho aqui,demoro eu sei,leio os novos e volto a ler os antigos posts.Sinto-me muito bem.Aliás descobri que ainda não tinha lido o da blogagem coletiva sobre a valorização da mulher;não desfazendo dos outros,parabéns,viu,belíssimo.Um beijo.

Arlison disse...

Muito legal... O cotidiano de vocês merece ser retratado futuramente em um livro.

Raquel Linhares disse...

Não adianta.. eu até tentei ser gentil com eles, mas 90% dos atendentes de telemarketing tem o mesmo QI de um vegetal. Só sabem fazer aquilo e ponto final.
Semana passada a secretária da médica da minha irmã ligou aqui pra confirmar a consulta. Como eu e minha irmã temos a mesma médica, aproveitei pra marcar uma consulta pra mim também. E começa o questionário...
"Nome?"
"Raquel"
"Seguro?"
"Sim, Petrobrás"
"Telefone?"
"... O mesmo que você ligou."