sábado, abril 16, 2011

A LARANJINHA AMIGA

Sim esse era o nome do brinquedo. Laranjinha Amiga. Clássico dos anos setenta, era muito comum entre as meninas da época e é claro que eu era doida para ter um!!! E a minha Laranjinha Amiga finalmente veio, não lembro bem se num aniversário ou no Natal. Eu tinha uns cinco anos, na época.

Graças ao google, consegui achar uma ilustração da Laranjinha Amiga em um blog muito bacana chamado Retromotoca. Linda, não é? Você tirava a tampa em forma de folha da cabeça da Laranjinha Amiga e colocava suco lá dentro, e o suco saía de uma torneirinha em seu tronco. Não consigo lembrar onde que apertava para sair o suco, acho que era na prórpia torneira.

Enfim, como vocês podem ver, a nossa Laranja Amiga nada mais era do que uma espécie de filtro de água sem filtro, um brinquedo altamente "divertido". A mamãe de vez em quando me deixava servir suco nela, para ela não entrar em falência, em geral me permitia usar para tomar água. E, assim, eu enchia a minha Laranjinha e quando tinha sede tomava água num dos copinhos que vinha junto com ela.

Uma tarde, na mamãe precisou levar meu irmão ao médico e pediu pra uma tia-avó minha, que morava lá perto, pra tomar conta de mim. Tia Dinguinha era prestativa, um amor, mas não sabia brincar com crianças. Assim, ela acabou dormindo no sofá e me sobrou a companhia da minha Laranja Amiga. Eu conversava com ela e tomava um copinho d'água. Conversava mais um pouco e tomava outro copo. Acabou a água, eu enchi o reservatório. E, aí, se deu o desastre: olhei para a mesa, vi que estava molhada. A torneira da minha Laranja Amiga estava vazando, pingava... pingava... e pingava... O que fazer??? A cabeça da minha Laranja estava lotada de água, a torneira não parava de vazar, ia inudar tudo. A minha tia estava lá até roncando, e eu sem coragem de acordá-la. Tive, então, uma ideia que achei brilhante. E, num ato de esperteza e heroísmo completos, coloquei o copinho debaixo da torneira e fui tomando toda a água, até esvaziar tudo. Mais de um litro, tomado em mais ou menos uns quinze minutos, copinho atrás de copinho. Quando minha tia acordou eu estava lá, com a mesa seca, a Laranja seca, a minha barriga cheia e eu com água saindo até pelos olhos. O resto do dia eu praticamente morei no banheiro, até conseguir eliminar aquela água toda.

Pior que não teve jeito. A torneira continuou com o seu vazamento e, com isso, o papel da minha Laranjinha Amiga foi enfeitar, toda sorridente, a prateleira do meu quarto, durante vários anos de sua vida. E, diga-se de passagem, com torneira vazando ou não, depois da minha "aventura", nunca mais tive coragem de servir "suco" na minha Laranja...

---------------------

Só para terminar. Na minha pesquisa atrás da fonte de onde tirei a foto ilustrativa deste post, fui parar no site do Motoca. Lá, entre outras coisas, há uma página obrigatória para aqueles da geração 70/80, com jogo de memória, brincadeira interativa do pequeno construtor e quiz sobre os anos 80. Para quem quiser conferir, o endereço é este aqui: http://retromotoca.wordpress.com

19 comentários:

meus instantes e momentos disse...

que bom o jeito bom vc tem, de deixar fluir um texto.
Gostei daqui,
Maurizio

Claudinha ੴ disse...

Oi Lu querida! Eu vou lá ver, deve ter muita coisa da minha infância!!! mas esta laranjinha eu não tive não... :(
Beijos!

Blog do Beagle disse...

kakakakaka crianças kakakakaka bjs. Elza

Lucimere disse...

Eu lembro da laranjinha... (risos)
eu vou conferir o endereço.
Boa semana.bjos

JuJu disse...

Oba! Essa laranjinha parece ser bem simpática. Coisas de laranjinha amiga, hein! Pena que essa amiga lhe aprontou feio...
Até!

Magui disse...

Imaginei a cena do seu desespero.Eu me lembro dessa laranja e que comprei para meus filhos.

Miguel disse...

Delicioso texto. Tudo que nos tráz grandes lembranças é muito agradável. Lembro-me dessa laranjinha, certa vez quase comprei para um filho, porém refletindo considerei nas inundações que a referida laranjinha poderia causar no apto e desisti da idéia. Adorei o texto minha cara, até logo mais. Bj

janara disse...

adorei o blog, beijinhos, Janara.

maith disse...

Eu não sou contemporânea da Laranjinha. Na sua epoca eu estava começando a envelhecer. Vou visitar o blog de sua amiga. Estou retornando e meus amigos estão se chegando muito devagar. Bem feito pra mim! Quem manda deixar o blog às moscas? Voltei para avisar que meus blogs estão atualizados esperando sua visita e seu comentário.
http://www.bisavo.blogger.com.br
http://www.cuidadoestaoteespiando.blogger.com.br

retromotoca disse...

Obrigada por visitar o Retromotoca! Realmente, o líquido saía da laranjinha ao empurrar a torneirinha para baixo. A minha vazava também, acho que o "design" do brinquedo não era muito perfeito. Adorei sua lembrança, bastante divertida (criança tem um jeito todo especial para resolver problemas). abs/ Adriana

taio disse...

lindo blog

Mariazita disse...

Um texto delicioso, minha querida.
Não é engraçado como há coisas que permanecem na nossa memória para sempre? E, ao contrário, há coisas que esquecemos completamente.
Acontece em conversas com as minhas irmãs perguntarmos umas às outras: lembras-te...? isto ou aquilo. E se há coisas que parece que aconteceram ontem, de tal modo estão vívidas na nossa memória, outras parece que nunca aconteceram. Vá-se lá saber porquê...
Mistérios! :)))

Uma santa e feliz Páscoa para si e todos os seus.
Beijinhos

Marina disse...

Sou dos anos 80, nunca tive a a laranjinha. Mas tinha vários brinquedos de fazer comida de verdade: pipoqueira, chocolateira, batedeira, liquidificador, forno de bolo... Engraçado que hoje eu não gosto de cozinhar.

J.F. disse...

Lu,
Ainda bem que você não vinha pro meu lado com um "papai, tome um suco de laranja que eu fiz!"
Acho que foi por ter quebrado antes.
Beijão,
paiê

Mariazita disse...

Minha mensagem de Páscoa
Permita-me que faça minhas as palavras de Einstein:

"Algumas coisas são explicadas pela ciência, outras pela fé. A Páscoa ou Pessach é mais do que uma data, é mais do que ciência, é mais que fé, Páscoa é amor."

Feliz Páscoa, com muito Amor.

Diários do Papai disse...

Depois de muito ter me divertido entre os teus desenhos, agora venho ler a Luciana cronista: muito boa esta história, minha cara! Especialmente pelo saudosismo de velhos e apaixonantes brinquedos! Não sou do tempo dessa laranjinha da inundação, mas já me peguei várias vezes em meu blogue narrando causos de minha infância nos anos 80, tal como no ótimo 'site' que você mencionou, em meio a Ataris e brinquedos da Estrela!

Parabéns, mais uma vez, e, mais uma vez, o convite duplo: se você achou muito "polêmico" o texto que pediste para refletir a respeito um pouco mais, volte aos Morcegos (bem como aos Diários) e dê uma conferida nas centenas e milhares de outras postagens que acumulam um monte de reminiscências como esta aqui! Meu abraço!

Rosamaria disse...

Lu, meus filhos foram desta época, mas não lembro de sta laranjinha.
Saíste bem do aperto, hein!
Bjim.

tuliodibao disse...

Que linda a Laranjinha, eu não conhecia, sou geração 80!!!
Com certeza vazando ou não, me conhecendo bem eu ia beber muito líquido dessa Laranjinha viu!!! huauhauhahua
Adorei o novo template com a calopsita!!!

MARCOS DHOTTA disse...

Uma delícia!!! Adorei o post. Essa laranjinha fez um sucesso enorme na época. Beijos