quarta-feira, maio 07, 2008

- SIM, AINDA ESTOU VIVA!!!...

... mas devo confessar que a coisa anda preta em matéria de tempo. Nos primórdios do EEEPA, ainda no Blogger Brasil, eu era uma contabilista frustrada, com horário de trabalho, fins-de-semana livres e etc. Agora sou uma desenhista realizada, sem horários, fins-de-semana, etc. Sabem como é... ou não temos nada de trabalho, ou aparece tudo ao mesmo tempo. Enfim, eu JURO que assim que sobrar uma folga e cérebro faço todas as visitas que estou devendo, tanto aos amigos antigos como aos novos que têm passado por aqui.

Estava aqui pensando no que postar, e me lembrei que esqueci de fazer o repost da terceira parte das telefonices, para quem tem preguiça de procurar nos links. Lá vai, então, tal como foi postado na época, e com um pequeno update:

- TELEFONICES (3ª PARTE) -

Nos tempos atuais, é comum atendermos a três tipos de ligação:

- engano (geralmente por confusão de nossos [des]serviços);
- telemarketing;
- pedidos de doação.
* Update de 08/05: hoje eu diria que há um quarto tipo, os agradáveis telefonemas de cobrança. *

Engraçado, antigamente era mais comum recebermos ligações de trote. Volta e meia, acontecia lá em casa. Eu devia ter uns oito ou nove anos quando aprendi a atender ao telefone e, em uma das primeiras vezes, aconteceu:

- Alô???
- Alô, é do açougue?
- Não...
- Ué, eu pensei que estava falando com o bofe!!!

Pronto!!! Desliguei na cara do engraçadinho. Fui contar para a minha mãe, e ela caiu na gargalhada:

- LUUUUUU!!! Você desligou na cara do seu PAI!!!

OK. Além de ser péssima fisionomista, não reconheço com quem falo no telefone... Mas que culpa tenho eu do meu pai gostar de passar trote lá em casa???

9 comentários:

ViviMaia disse...

Seu J.F. fez isso?
hauahuahauahauhauahau
deve ter sido no minimo ilário
xD

Então faz falta seus post, mas que bom que vc arrajou um tempinho para postar!


Ah aqui em casa tem os 4 tipos de ligação e está tendo um trote frequente, ligam aqui e desligam, é muito chato isso
:s
Mas tudo bem

Se cuida
beijão Lú

Nadezhda disse...

Quando eu era criança passavam trote direto em casa. Mas agora que eu poderia dar boas respostas, ninguém mais liga.

Agora os trotes são mais sérios. Ligam dizendo que sequestraram seu filho, e que é preciso depoistar não sei quantos reais na conta.

Os tempos mudam!

;)

Carol disse...

eu também não reconheço vozes ao telefone. às vezes a pessoa fala, fala e não se identifica. eu preciso de um enoooorme esforço mental pra saber com quem estou falando... hehehe

beijo

Carol disse...

eu também não reconheço vozes ao telefone. às vezes a pessoa fala, fala e não se identifica. eu preciso de um enoooorme esforço mental pra saber com quem estou falando... hehehe

beijo

DO disse...

Rsssssssss,seu pai deve ser muito espirituoso,Lu,hehehe


Se cuida!!

Bacio!

PULCRO disse...

Tempo!!!!
Preciso de um TEMPÃO. Por favor!

Lu, sua família é uma comédia.


http://www.pulchro.blogspot.com/

/contraditions disse...

demais aqui, e que
bom que estas viva né?
dasuhadssdhuasdhu
beijos.

http://aprocaralho.blogspot.com/

Marco disse...

Também ando espremido pelo tempo, Luciana. Nem consigo postar os textos que já estão prontos. Também estou em dívida com muitos amigos. Mas vou pagando aos poucos.
Sobre o seu post, mas esse meu amigo de infância é da pá virada, mesmo! Adorei este trote. Hoje em dia é mais complicado de passar trote. Existe BINA. Mas lembro que eu passei muito trote quando era moleque e adolescente. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Raquel Linhares disse...

Hahahahahaha
Que engraçado! Seu pai passando trote pra sua casa.
Eu também não reconheço com quem eu falo. A sorte agora é que existe a bina.
Quando não tenho o número registrado, sem maiores constrangimentos pergunto "Quem é que tá falando?".
Depois de inúmeros foras, percebi que era melhor ser indelicada do que passar por idiota.