terça-feira, julho 10, 2007

POESIA SINGELA

O post de hoje é uma pequena homenagem à poeta maravilhosa que eu já fui aos 13 anos de idade. Vejam que beleza! Olhem que inspiração!!! Depois me respondam sinceramente: eu não era demais???

NÓIS JOGANDO BOLA

Tudo começô
Quando a fessôra ensinô
Nóis a jogá vôlei:
- Vocêis vão aprendê
A jogá o a, bê, cê.
Vocêis joga bola
E só acaba o jogo
No fim do abecedário,
Quando chega a zê.
E nóis foi jogá bola.

Um jogava e falava a,
Ôtro falava bê,
Ôtro falava cê,
Ôtro falava dê,
E daí nóis errava.
Nóis tentava de novo:
A, bê, cê, dê,
E num dava.
Ficamo duas hora,
Aprendemo a jogá
Bem o vôlei.
Mais quando nóis tentava
Jogá o a, bê, cê, dê,
Nóis sempre errava.

Cabô a aula,
A fessôra foi embora,
E nóis jogando bola.

Tava na hora
De í prá casa
E nóis jogando bola.

Nossos pais se preocuparo
Pois nóis num chegava
E nóis jogando bola.

Chegô o dia seguinte,
Os fessôres recramaro
De nóis usá a quadra
E nóis jogando bola.

Passô-se um mêis
Os bedel tentava
Nos tirá de lá
E nóis jogando bola.

Cabô o ano
Todo mundo entrô em féria
E nóis jogando bola.

Se passô mais um ano
Os aluno passaro de ano, também
E nóis jogando bola.

Se passô vários ano,
Os aluno se formaro,
Todos foram trabaiá
E nóis jogando bola.

Eles chegaro aos 40,
Começaro a vivê
E nóis jogando bola.

Eles ficaro véio,
Se aposentaro
E nóis jogando bola.

E o colégio fechô,
Até quisero demolí
E nóis jogando bola.

Todos, já veinho,
Começaro a morrê.
Incrusive nóis e daí num jogamo
Mais bola.

Tudo pur quê?
Por causa da fessôra.
Se tivesse ensinado vôlei
Sem o a, bê, cê, dê,
Nóis parava de jogá.
Pois nóis, tudo anarfabeto,
só sabia o abecedário até o dê.

(poesia modestamente escrita por Luciana Farias, em outubro de 1983 - aos 13 aninhos de idade)

11 comentários:

Angelina disse...

kkk e num é mulher! o jogo do brasil! e olhe que tá bem animado, até romario ta la de comentarista, aí já viu, é controvérsia o tempo todo.

Meire disse...

O Lu, menina, vc tem potencial, to falando serio.
bjs

DO disse...

Pois eu gostei,viu...

Acho que deve voltar a escrever...

Bacio!!

maray disse...

ainda bem que 13 anos é coisa que vem e passa, né?

abração

Elza disse...

ai que coisa mais lindinha!!
Ainda bem que certar preciosidades agente sabe guardar!
Muito lindinho o poema!
=]

Danielle Means disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

mas quem guardou até hj? vc ou sua mãe????? :-P

adoro vir aqui, pq ultimamente me sinto super em casa!!! :-P

Mel disse...

hahahahaahahaha
Tempo bom esse, heim?
:)
Tempo bom também o da época em que seus pais namoravam. Achei lindo sua mãe guardar todas as flores numa caixa. Eu faço um pouco disso também!

Marco disse...

Rá, rá, rá... O Chico Bento precisa te conhecer, Luciana!
Muito legal. A menina já prometia, está vendo?
Carpe Diem. aproveite o dia e a vida.

Camu disse...

Como é bom poder reviver uma época boa e que já passou, né não?!
Beijoca

Lunna disse...

Adorei o poema que de modesto não vi absolutamente nada, mas não se deve contrariar o autor...
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Ainda bem que era vôley e não futebol. Bem, se fosse, não estariam na escola. Risos.
Beijos moça

Tetri Mesquita disse...

Ah não, pára... espera... explica pra tudo mundo que foi aos 13 anos de profissão...
Eu com 13 anos não sabia nem até o dê, quem dirá escrever uma coisa dessas... Aliás, não é a toa que és uma das blogueiras que mais aprecio ;)