quarta-feira, julho 25, 2007

FRAGMENTO DE UMA CONVERSA...

- OOOI!!! Vamos pra balada?
- Vamos!!!
- Você já tem 18 anos?
- Eu tenho!
- Ah, tá... então a gente vai pra balada naquele seu carro, tá?
- Tá, mas eu pensei que você tinha 18 também.
- Eu não, eu tenho 16, mas não quero ter filho... você quer o meu?
- Genteeeeeeeee!!!! E eu, já tenho 18?
- Tem sim!
- Ah tá... mas porque todo mundo aqui tem uma amiga e eu não tenho? Eu quero uma também, me passa uma sua que você está com duas amigas...
- Tá... mas e aí, você está de férias?
- Eu não!!!
- Ué... então o que você estava fazendo com aqueles bichos? Pensei que tava de férias...
- Ah!!! É que ela só está estudando pra ser veterinária, então ajuda a olhar os animais...
- É!!! Igual a quando eu falei que gostava de azul sem gostar...

(...e aí eu fico pensando se, na época das bonecas de papel, as minhas brincadeiras eram parecidas com as das quatro que andam reunidas por aqui nestas férias, pra brincar de Polly Pocket. E depois ainda me perguntam por que o meu trabalho não rende...)

17 comentários:

Gabriela disse...

você comentou lá no meu blog ao mesmo tempo que eu estava lendo o seu. :)

na minha época a gente brincava de barbie. e eram as mesmas histórias. só que eu só gostava de arrumar a casinha e depois me via sem criatividade para inventar uma história, então as amigas me ajudavam e ficavam super felizes por eu não querer o que elas queriam, tipo: - o carro vai ser meu, eu que vou ter o filho e eu que vou desmaiar no meio da história. hahaha

até cheguei a conhecer a polly pocket, mas quando eu era criança, ainda era muito pocket, tipo do tamanho do dedo da unha, então não dava pra brincar! :P

beijo, querida!

Kenia disse...

Lu, quem inventou essa Polly Pocket tem parte com o demo, menina.
A daqui de casa adora. Mas de vez em quando perde os sapatos ou a bolsa de uma delas. Pense na agonia! E o pior é que a criatura dá pela falta justo do que desapareceu no meio de tantos outros apetrechos. E não me deixa em paz enquanto eu não ponho a casa de cabeça pra baixo e acho o que ela perdeu. :P
Beijos pra vocês e as moças. ;)

Angelina disse...

kkkkkkkk gente, no começo pensei que era um "diálogo real" kkkkkkk depois morri de rir, lembrando também dos meus tempos de brincar de boneca. deve ser muito engraçado ve-las brincando!
essa polly é mesmo um sucesso né, acho que por causa dos acessórios que são muitos...

e o caderno de respostas, menina? era muito legal né? kkkkkk
beijosss

Claudinha disse...

Ai meu Deus, aqui também a tal Polly já rendeu briga. Associada a High School Musical e Harry Potter... Não consegui ir ao cinema ainda e Ana está me enchendo a paciência... Mas melhor as Pollys que as baladas, o mundo está tão perigoso... O que me assusta amiga, é que ainda vamos sentir saudades disto tudo... Beijos! Mandei e-mail procê!

Marco disse...

Ré, ré, ré... Que conversa esquista! Eu já vi essas tais de Pollys. No meu tempo também tinha bonecas de papel. Minha irmã adorava vesti-las e trocar de roupa toda hora.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Cris disse...

Oi Lu!!!
Não conheço essas tais Pollys... Já comprei umas duas para alguma das priminhas, mas não entrei no mundo delas... rs
Murphy anda à toda!!!
Beijos

Elza disse...

Polly agora é a moda, mas eu ainda prefiro as barbies, mas charmosas na minha opnião.

PULCHRO disse...

Essas Pollys lembra a epoca que eu estuda letras... tinha uma amiga de sala que o apalido dela era Polly. E parecia mesmo.

DO disse...

Sinceramente,LU,acho que a idade chegou por aqui. Não entendi nadica desta história,heheheh

Beijos!!

Jack disse...

Realmente, se vc prestar atenção numa conversa dessas, com certeza o trabalho vai pras cucuias... hehe
Bjocks

Mel disse...

Bonecas de papel? Meu Deus, como eu adorava!!
Agora as minhas Barbies tiveram altos papos!
:) Beijos

Angelina disse...

é eu esqueci de comentar que também adorava brincar com as bonecas de papel, minha mãe que me ensinou a fazê-las, era o máximo.
Mas eu preferia as barbies mesmo.

Camu disse...

Ai que mundo de fantasia bom! E eu quando embarco numas conversas dessas até esqueço que existe trabalho...hehehe... aí depois... top top... mas vale a pena!
Beijo

Vivien disse...

eu adorava bonecas,casinha, essas coisas todas.
Brinquei com minha sobrinha muito tempo, porque como mãe de garoto...esse tipo de coisa nao fazia mais parte do meu cotidiano e eu sentia uma tremenda saudade.;0)

Yvonne disse...

Lu, seus posts são deliciosos. Eu me vejo em todos eles quando você conta os causos de sua família e amigos. Beijocas

Karina disse...

Não conheço essas Pollys, mas todo brinquedo q incentiva a criatividade é benvindo, né? Mas quem disse q essa criançada precisa de incentivo pra ser criativa??? rsrsrs
Bjks

Sweet disse...

Lu, eu tb adorava bonecas de papel! Aê parceira!

Conversa de crianças é uma maluqueira. As daqui vivem brincando de ser mãe e irmã. Tem uma amiguinha de Clara q é viciada em brincar de mãe. Até me chama de mãe, às vezes, a maluqinha.

E quando elas querem q a gente brinque de família com elas? Ai, eu confesso, ñ tenho paciência. Sou sincera... Aí eu digo: não preciso brincar de mãe, eu já sou né?

Essas Pollys são uma praga. E quando elas perdem alguma roupitcha e ficam pensando q a amiguinha levou, ou trocam, é uma derrota...